1

Coleção Fábulas Bíblicas Volume 61

DEUS É
IMPERFEITO

Se Deus fosse perfeito, o crente também seria
e não precisaria de Deus para nada. JL

JL
jairoluis@inbox.lv

2
Sumário
Introdução ........................................................................ 5
1 - Um Deus completamente idiota ................................. 6
2 - Deus errou na criação. A bíblia é clara ........................ 7
3 - Algumas cagadas comprovadas de Deus ................... 10
1 - A farsa da “perfeição” de Deus: Adão e Eva >>> ............. 13
1 - As criações perfeitas de Deus .................................. 15
2 - Chega a imperfeição. ............................................. 16
3 - A velha desculpa do “livre arbítrio” ........................... 17
4 - Deus é o único perfeito ........................................... 19
5 - Graus de perfeição ................................................. 20
6 - Um mundo imperfeito ............................................ 21
2 - O deus imperfeito e seu desejo de humilhação ................. 24
1 - Deus e seu desejo insano de humilhação humana. >>>
............................................................................... 25
2 - O que é “humilhar-se”? .......................................... 26
3 - Humilhação na Bíblia .............................................. 28
4 - O péssimo exemplo de Jesus ................................... 31
5 - A perfeição versus a necessidade de humilhação ........ 32
6 - Cuidado ao NÃO humilhar-se! .................................. 33
3 - O deus imperfeito e a prova falsa de Abraão .................... 35
1 - A fé de Abraão, uma prova desnecessária? >>> ........ 35
2 - A prova do deus onisciente ..................................... 36
4 - Características do deus bíblico ....................................... 40
1 - Onipotência .......................................................... 41
2 - Onisciência ........................................................... 44
3 - Onipresença.......................................................... 46
4 - Imutabilidade ........................................................ 48
5 - Sabedoria infinita .................................................. 51
6 - Justiça infinita ....................................................... 54
7 - Verdade Infinita .................................................... 56
8 - Amor Infinito. ....................................................... 59
9 - Perfeição Absoluta. ................................................ 62

3
5 - Paradoxos e contradições >>> ...................................... 65
1 - Onipotência .......................................................... 66
2 – Onibenevolencia.................................................... 69
3 - Onipresença.......................................................... 71
4 – Onisciência ........................................................... 73
5 - Perfeição absoluta ................................................. 76
Referências: .............................................................. 78
6 - Mais bobagens do Cristianismo >>> .............................. 79
1 - Mais conteúdo recomendado ................................... 80
2 - Livros recomendados ............................................. 81

4
Introdução

Deus criou tudo o que existe e nada deu certo, mas ele não tem
culpa de nada, segundo os crentes da Mitologia cristã. Por que os
crentes ficam literalmente furiosos ao ver o seu deus acusado de
fracassado e incompetente, se ele mesmo confessa isto por toda
a Bíblia?

5
1 - Um Deus completamente idiota

INCRÍVEL!!! O próprio deus afirma categoricamente que bois
e jumentos possuem mais entendimento que seus
seguidores. São palavras claras de Deus na santa bíblia,
onde ele confessa e reclama de seu total fracasso na criação
dos próprios filhos:

Isaías 1:2-4 - Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, tu, ó terra; porque o Senhor
tem falado: Criei filhos, e engrandeci-os; mas eles se rebelaram contra
mim. O BOI CONHECE O SEU POSSUIDOR, E O JUMENTO A
MANJEDOURA DO SEU DONO; MAS ISRAEL NÃO TEM
CONHECIMENTO, o meu povo não entende. Ai, nação pecadora, povo
carregado de iniqüidade, descendência de malfeitores, filhos
corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram o Santo de Israel,
voltaram para trás.

6
2 - Deus errou na criação. A bíblia é clara

1 - DEUS DEU UM TIRO NO PRÓPRIO PÉ!

Vamos ao ponto:

1. Gênesis 1:3-5
2. 3 - E disse Deus: Haja luz; e houve luz. 4 - E VIU DEUS
QUE ERA BOA A LUZ; e fez Deus separação entre a luz e as
trevas. 5 - E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou
Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
3. Gênesis 1:10
4. E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das
águas chamou Mares; E VIU DEUS QUE ERA BOM.
5. Gênesis 1:12-13
6. 12 - E a terra produziu erva, erva dando semente conforme
a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela
conforme a sua espécie; E VIU DEUS QUE ERA BOM. 13 - E
foi a tarde e a manhã, o dia terceiro.
7. Gênesis 1:16-19
8. 16 - E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior
para governar o dia, e o luminar menor para governar a
noite; e fez as estrelas. 17 - E Deus os pôs na expansão
dos céus para iluminar a terra, 18 - E para governar o dia
e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; E
VIU DEUS QUE ERA BOM. 19 - E foi a tarde e a manhã, o
dia quarto.
9. Gênesis 1:21
10.E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma
vivente que as águas abundantemente produziram
conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme
a sua espécie; E VIU DEUS QUE ERA BOM.
7
11.Gênesis 1:25
12.E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o
gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra
conforme a sua espécie; E VIU DEUS QUE ERA BOM.
13.Gênesis 1:31
14.E viu Deus tudo quanto tinha feito, E EIS QUE ERA MUITO
BOM; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

ALGUÉM NÃO ENTENDEU? DEUS FAZIA AS COISAS SEM SABER
SE O RESULTADO SERIA BOM?

TANTO NÃO SABIA O QUE ESTAVA FAZENDO, QUE DEPOIS DE
CRIAR TUDO E VER QUE ERA BOM, SE ARREPENDEU E DESTRUIU
TUDO!!!!!

• E disse o Senhor: Destruirei o homem que criei de sobre a
face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil,
e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver
feito. Gênesis 6:7

Segundo o que lemos na santa bíblia, o Deus todo-poderoso
fabricava as coisas e somente depois de terminá-las é que se dava
conta de que as tinha feito bem. Por acaso Deus não é onisciente?
Recordemos que Deus sabe tudo, essa qualidade se chama
onisciência, Deus deveria saber que tudo o que faria seria bom e
de qualidade (mesmo que olhando bem, o resultado final deixe
muito a desejar). O escritor do Gênesis ao declarar “E VIU DEUS
QUE ERA BOM”, significa que Deus não sabia o que ia criando até
ver os resultados. Isto é verdadeiramente incrível, já que rompe
definitivamente com a qualidade de onisciência divina e nos faz
pensar que Deus não sabe tudo.

8
Muitos cristãos pensam que o Gênesis é só um resumo ou
simbologia do que ocorreu quando Deus criou o mundo. Se estes
versículos são só um resumo, então imagine quantas coisas Deus
teria criado e viu que não eram boas, o versículo então diria: “E
VIU DEUS QUE NÃO ERA BOM; E VOLTOU A TENTAR” até
conseguir um resultado que gostasse. Ok, ok, nem todos os
cristãos creem na literalidade do Gênesis (o que significa que
muitos cristãos pensam que o Gênesis não passa de uma invenção
– e por consequência todo o resto do cristianismo fica também
marcado com o selo da fábula); mas muitos milhões de cristãos
(principalmente os protestantes) pensam que Deus criou o mundo
em 6 dias e que tudo o que diz o Gênesis é totalmente certo. Seria
interessante que estes explicassem esse deslize de seu grande
deus onisciente.

2 - PROBLEMAS PARA JESUS CRISTO

Se as fábulas do Paraíso com Adão e Eva, do Dilúvio Universal, da
Arca de Noé e do Êxodo são o que parecem ser, simples fábulas,
elas são a prova de que Jesus é desnecessário e apenas outra
fábula. Jesus Cristo se evapora com a falsidade de qualquer uma
das fábulas anteriores. Ou todas são verdadeiras ou todas são
falsas, porque a falsidade de uma detona com as outras.

A primeira razão é porque nunca leram a Bíblia; a segunda é que
não sabem usar o cérebro para pensar; e a terceira é porque
enxergam a própria burrice ao crer num deus fracassado e porque
são confrontados com a burrice do deus imaginário que defendem
sem conhecê-lo segundo a Bíblia, pois simplesmente idealizaram
um deus perfeito que não existe na Bíblia, que é o livro que relata
todos os fracassos de Deus na criação.

9
3 - Algumas cagadas comprovadas de Deus

10
1 - Adão, Eva e o Paraíso

Deus criou Adão e Eva com suas próprias mãos divinas para que
vivessem eternamente no Paraíso. Mas tudo indica que Deus
estava drogado ou bêbado quando fez isso. O Deus onisciente não
sabia que Adão e Eva comeriam o fruto da árvore proibida - que
ele mesmo plantou no Paraíso – e, portanto, pecariam. O seu
maravilhoso plano veio abaixo antes de começar e por um erro
seu. Deus não sabia que suas criações eram imperfeitas e fariam
a merda que fizeram?

2 - O Dilúvio universal

Depois da cagada com Adão e Eva, Deus teve uma ideia
maravilhosa para consertar tudo: inundaria toda a terra matando
todos os humanos pecadores criados por ele mesmo (incluindo
crianças e animais inocentes). Genial! Selecionou uma família que
segundo suas normas eram boas pessoas, os encerrou numa
caixa, inundou e assassinou todo mundo. Mas algo deu errado
com este plano também; pouco tempo depois o mundo estava –
de novo - cheio de maldade e assassinatos. Bem, nem Deus é
perfeito! Certo?

3 - Moisés e a terra prometida

Depois de dois fracassos gigantescos, Deus resolve mudar de
estratégia para ver se consegue fazer algo corretamente. Parece
que salvar a humanidade toda é uma tarefa complicada demais,
então resolve salvar apenas a sua tribo favorita (os israelitas, não
os cristãos) e o resto que se foda. Escolhe um representante,
Moisés, e promete tirar seu povo da escravidão no Egito e lhe dar
uma terra onde viveriam em paz e harmonia para sempre: “a terra
prometida”. Depois de milhares de assassinatos, 40 anos vagando
11
pelo deserto, guerras e de ser escravizados de novo pelos persas,
Mesopotâmia, Roma e mais recentemente pelos muçulmanos, os
israelitas ainda não possuem uma terra para viver em paz, pois
todos os seus vizinhos querem vê-los mortos. Mais um fracasso
vergonhoso de Deus!

4 - Jesus e o paraíso celestial

Fracasso após fracasso, Deus ainda não desistiu e tem outra ideia:
envia seu filho (segundo os cristãos e mais ninguém) para avisar
aos terráqueos que a salvação está no céu e não na terra; e que
a única saída é seguir Jesus! Nem precisa dizer que esse filho
pregou sua mensagem na terra por apenas três anos e foi
imediatamente executado. Alguns dizem que Jesus morreu para
perdoar os nossos pecados, mas entre antes e depois de Jesus
nada mudou no mundo ... mais uma morte inútil e até a Bíblia
confirma: “E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque
DESDE QUE OS PAIS DORMIRAM, TODAS AS COISAS
PERMANECEM COMO DESDE O PRINCÍPIO DA CRIAÇÃO”. 2 Pedro
3:4.

A morte de Jesus na prática não
mudou absolutamente nada no
mundo, exceto para pior, com
os milhões de assassinados
praticados pelos cristãos em
seu nome.

12
1 - A farsa da “perfeição” de Deus: Adão e Eva >>>

Deus é perfeito.

Esta frase é premissa e verdade para todos os crentes. Pois não
teria nenhum sentido adorar, crer e obedecer a um Deus que é
imperfeito e que comete erros. Mas ao que parece muito poucos
crentes estão conscientes da importância e significado dessa
palavra “perfeito”. Vejamos o que nos diz o dicionário:

• Perfeito - per.fei.to. adj (lat perfectu) 1 Em que não há defeito; que só tem
qualidades boas. 2 Cabal, completo, rematado, total. 3 Que resume muitas
qualidades boas. 4 Magistral, notável. 5 Destro, exercitado. 6 Belo, formoso de

13
corpo; elegante. 7 Gram Diz-se do tempo verbal que se refere a uma ação ou
estado já de todo passado. 8 Dir De conformidade com as exigências legais.

Partindo destas premissas podemos concluir que ser “perfeito”
significa algo sem mácula, sem erro, absolutamente bom e gentil,
intocado, correto, excelente, impecável, maravilhoso, magnífico,
estupendo, insuperável, etc. Obviamente todos os crentes
concordam que Deus possui de sobra todas estas qualidades e
definições.

Porém, já demonstramos à exaustão e com base na Bíblia, que o
conceito de “bom” quase nunca coincide com as características de
Deus; e que, segundo a própria Bíblia, Deus pode ser em
inumeráveis ocasiões um consumado malvado e assassino; e que
nem sempre é terno e bondoso.

14
1 - As criações perfeitas de Deus

Se o caso é que, sim, Deus é perfeito, por simples lógica e
dedução, suas criações também deveriam ser perfeitas. Não teria
nenhum sentido adorar e crer em um ser perfeito, mas que cria
imperfeições e coisas fora da perfeição. Se alguma criação de
Deus fosse “imperfeita” ou com erros e defeitos, concluiríamos
que seu criador não era tão perfeito como se esperava, já que seu
trabalho dá resultados imperfeitos. Creio que esta premissa é
facilmente aceita pela maioria dos crentes:

• Deus Perfeito = Criações perfeitas.

E sendo Adão uma criação direta de Deus, assumimos que Adão
era perfeito. Pelo menos em teoria.

15
2 - Chega a imperfeição.

Mas algo aconteceu! Adão e sua mulher Eva, meteram as patas
vergonhosamente e desobedeceram uma simples ordem de Deus.
Por acaso não eram perfeitos? Onde está o sentido de Deus criar
Adão “perfeito” e depois de um par de dias descobrir que se
enganou redondamente? Uma desculpa muito comum para esse
fracasso de Deus é: “Mas não foi Adão que errou, foi Eva! ” Se
alguém esqueceu, Eva também é uma criação de Deus (portanto
“perfeita”), Deus arrancou uma costela de Adão e fez a mulher
com suas próprias mãos divinas invisíveis. Adão é perfeito;
e segundo o que nos relata a Bíblia, Eva foi criada a partir de uma
parte de Adão (costela), e "moldada" por Deus. Por isto Eva, não
só é geneticamente perfeita (criada a partir de um ser perfeito),
mas também é terminada por outro ser perfeito, Deus. Em teoria,
Eva deveria ser o ponto máximo de perfeição. Além disso,
recordemos que Deus é onisciente e com certeza sabia que Eva
seria tentada e que Adão seria também enganado.

16
3 - A velha desculpa do “livre arbítrio”

Diante desta óbvia incoerência e contradição, a desculpa a que
talvez mais apelam os desesperados e confusos crentes da
mitologia judaico-cristã, seja:

• - Adão era perfeito. Mas tinha o “livre arbítrio” de escolher
entre o bem e o mal. E Deus não é responsável por isso.

Se eu crio algo absolutamente perfeito, mas deixo a possibilidade
para que falhe, como pode chamar-se perfeito então? Devemos
recordar que as coisas “perfeitas” não falham nem cometem erros
(já que são perfeitas). Se Adão em sua livre capacidade de
decisão, escolheu desobedecer a Deus, isso nos dá uma mostra
de clara imperfeição, já que se fosse realmente perfeito, devia
prever as negativas e lamentáveis consequências de seus atos.

As vezes respondem algo assim:

• - Não, não, não ... Uma das características da “perfeição” é
precisamente a possibilidade de ter livre escolha, de tomar
a decisão que quiser.

Sim, claro... és tão perfeito que podes te enganar e meter as patas
até o pescoço e de quebra condenar o resto da humanidade por
teu erro ... Mas és perfeito!! É muito curiosa e bizarra essa
transformação de Adão sob a proteção de Deus.

Segundo Deus:

• Bem, eu criarei o homem completa e absolutamente
perfeito. E além dessa perfeição, o homem terá livre-
arbítrio para escolher o que quiser, o bem e o mal. E claro,
17
como sou Deus, se ele escolher o mal, o castigarei de forma
contundente por seu erro. E por certo, perderá sua condição
de “perfeito” passando a ser “imperfeito”.

A alguém mais isto parece incoerente e idiota?

• És perfeito, mas se tomas uma decisão baseada em tua
perfeição, te tiram a condição de perfeito.

Absolutamente coisa de loucos! E para piorar, a Bíblia inteira é um
manual de condenação ao uso do livre-arbítrio, pois as punições
e ameaças de maldições, morte e condenação eterna no inferno
para quem tiver o descaramento de usar seu livre-arbítrio,
chegam aos milhares.

Nem pense em usar o livre-arbítrio:

Deuteronômio 28:15
15 - Entretanto, se vocês não obedecerem ao Senhor, ao
seu Deus, e não seguirem cuidadosamente todos os seus
DEUS mandamentos e decretos que hoje lhes dou, todas estas
VELHO maldições cairão sobre vocês e os atingirão:
46 - Essas maldições serão um sinal e um prodígio para
vocês e para os seus descendentes para sempre.
Jeremias 15:6
Tu me deixaste, diz o Senhor, e tornaste-te para trás; por
isso estenderei a minha mão contra ti, e te destruirei; já
estou cansado de me arrepender.
DEUS Marcos 16:16
NOVO Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer
será condenado.

18
4 - Deus é o único perfeito

Outra coisa que os crentes mencionam com frequência e que
sempre é um “tiro pela culatra” para eles é:

• “O único perfeito é Deus”
• Se Deus é o único perfeito, como pode criar coisas
imperfeitas?

Por simples dedução, se Deus é perfeito, suas criações deveriam
ser perfeitas por necessidade. E então deixaria de ser o “único
perfeito” já que suas criações também seriam perfeitas. Porque
se Deus é o “único perfeito”, então suas criações devem ser
imperfeitas; para assim manter-se como o único ser perfeito no
universo. E tem certo sentido isto, já que assim se justifica
plenamente que Adão e Eva, sendo criações diretas de Deus,
fossem tão idiotas para não obedecer uma simples ordem e
deixando muito claro sua imperfeição.

Então, o crente que usa a desculpa que “o único perfeito é Deus”,
deverá admitir que as criações de seu deus são imperfeitas ... (o
homem e o mundo onde habita); já que é a única maneira de
justificar sua perfeição única e individual.

19
5 - Graus de perfeição

Recordemos também que o estado de perfeição é sempre de
100%. Não se pode ser 99% ou 80% perfeito, já que diminuir
apenas um décimo, não seria completamente perfeito e passaria
a um estado de imperfeição. Se Deus é perfeito em 100%; por
inferência suas criações também deveriam ser perfeitas nos
mesmos 100%. E sendo Adão uma criação direta de Deus,
assumimos que seu grau de perfeição é também de 100%.

Então:

Como pode alguém que é 100% perfeito equivocar-se na primeira
oportunidade? Podemos concluir que Adão NÃO era perfeito (já
que se equivocou); Nem Deus é perfeito (já que não previu que
suas criações se equivocariam).

Conclusão:

Nem Deus Nem Adão são ou foram perfeitos.

20
6 - Um mundo imperfeito

E óbvio, este dilema sobre a “perfeição de Deus” não é aplicável
somente à fábula de Adão e Eva, também é extrapolável ao resto
da criação. Vejamos um simples silogismo:

• Deus é perfeito, logo,
• As criações de Deus são perfeitas, logo,
• O mundo em que vivemos é uma criação de Deus, logo,
• O mundo deveria ser perfeito, logo,
• O mundo é imperfeito, logo,
• Não tem sentido chamar Deus de perfeito.

Desculpa cristã mais comum:

Deus não é culpado pelos males e imperfeições do mundo, a culpa
é do homem por causa de suas más decisões.

21
1. Por acaso o homem não é uma criação direta de Deus?
2. Por acaso o mundo também não é uma criação de Deus?
3. Por acaso Deus não é “onisciente” e devia saber de antemão
que suas criações se equivocariam e que os resultados
seriam catastróficos?

Já está passando da hora de Deus assumir a responsabilidade por
suas criações.

Evidentemente que este análise sobre a perfeição divina e sua
relação com Adão e Eva é meramente referencial. Não são apenas
os ateus que acreditam que essa parte da Bíblia é totalmente falsa
e irreal; muitos cristãos tampouco creem na literalidade deste
relato. Apenas uns poucos literalistas Bíblicos creem e defendem
a existência destes seres assim como as outras histórias relatadas
no Gênesis. Porém, sendo estas histórias parte da Bíblia, elas nos
mostram muitas características de Deus e projetam sua imagem
para nós os simples mortais. E esta visão que nos deixa a história
da criação do homem no Gênesis, pega muito mal para a
reputação de Deus. A Bíblia é a palavra de Deus e reflete seu ser,
sua personalidade e seu carácter. E ao evidenciar todas estas
gigantescas contradições e erros, simplesmente nos faz concluir
que:

• Deus não é nada perfeito
• Ou simplesmente Deus não existe.

E tudo na Bíblia não passa de histórias antigas escritas por
pessoas de pouco conhecimento e com costumes arcaicos. É a
única maneira de justificar tudo isto.

22
Porém é claro, com certeza haverá alguém que ao ler estas linhas
e sentir que a sombra da dúvida cruza por sua mente, dirá
internamente:

• Os caminhos de Deus são misteriosos.

E a verdade é que os “caminhos de Deus devem ser muito
misteriosos e inescrutáveis” para engolir semelhantes
contradições.

Veja mais imperfeições de Deus:

23
2 - O deus imperfeito e seu desejo de humilhação

Se depois de ler até aqui, se ainda havia alguma dúvida sobre a
falsa perfeição de Deus, não restará mais nada. Pois não existe
prova maior da imperfeição de Deus que o seu insano desejo de
humilhação do ser humano. Alguém consegue imaginar um deus
perfeito que exige humilhação doentia de suas próprias criaturas?
Poder ser tudo, menos perfeito.

24
1 - Deus e seu desejo insano de humilhação humana. >>>

Deus, como nosso criador, deseja várias coisas de nós. Quer que
cumpramos certos parâmetros para poder obter sua misericórdia,
amor e gratidão. Deus quer que lhe obedeçamos para poder ter
acesso ao paraíso celestial prometido (de onde ele já nos
expulsou).

O que Deus quer de nós?

Bem, em seu livro ele nos deixa muito claro as coisas que deseja
de nós, suas criações:

Deus deseja que o amemos; deseja que cumpramos seus
estatutos e regras bem estabelecidas na Bíblia; Quer que
cumpramos seus “10 Mandamentos” (se conseguir descobrir quais
são os 10 verdadeiros); Deus quer que sejamos bons, bondosos,
fiéis, misericordiosos, leais e blá blá blá. Mas Deus quer e exige
outra coisa muito importante de nós os humanos: que nos
Humilhemos diante dele. Deus deseja-necessita que o ser
humano se humilhe e se rebaixe diante dele para ser merecedor
de seu amor e prêmios celestiais.

25
2 - O que é “humilhar-se”?

Mas o que significa “humilhar-se? Vejamos:

Humilhação

(Del lat. humiliatio, -ōnis).1. f. Ação e efeito de humilhar ou
humilhar-se.

Humilhar

(Do lat. humiliāre). - Inclinar ou dobrar uma parte do corpo, como
a cabeça ou o joelho, especialmente em sinal de submissão e
obediência.

26
- Abater o orgulho e a altivez de alguém.
- Ferir o amor próprio ou a dignidade de alguém.
- Dito de uma pessoa: Passar por uma situação na qual sua
dignidade sofra algum prejuízo.
- Ajoelhar-se ou fazer adoração.

Entre a sinonímia de “Humilhar-se”, temos só termos
depreciativos e insultantes:

Humilhar-se (sinônimos)

Ofender, degradar, envergonhar, denegrir, confundir, desonrar,
desdenhar, render, afrontar, depreciar, desprezar, envilecer,
submeter, mortificar, menosprezar, minar, subjugar, insultar,
oprimir, pisotear, agachar-se, inclinar-se, prostrar-se, retratar-se,
empequener-se, encolher-se, arrastar-se, etc. Pelo que podemos
notar, “humilhar-se” traz consigo toda sorte de degradação
pessoal, de submissão e de desonra.

27
3 - Humilhação na Bíblia

O crente cristão desavisado dirá que Deus não deseja que nos
“Humilhemos” diante dele; já que Deus é amor e não pode desejar
essas coisas tão horríveis de nossa parte.

Mas vejamos alguns dos numerosos versículos bíblicos que
deixam muito claro que Deus busca e necessita que os homens se
“humilhem” diante dele.

Êxodo 10:3
Assim foram Moisés e Arão a Faraó, e disseram-lhe: Assim diz o
Senhor Deus dos hebreus: Até quando recusarás humilhar-te diante
de mim? Deixa ir o meu povo para que me sirva;
Deuteronômio 9:3
Sabe, pois, hoje que o Senhor teu Deus é o que passa adiante de ti
como um fogo consumidor; ele os destruirá, e os subjugará diante de

28
ti; e tu os lançarás fora, e cedo os desfarás, como o Senhor te
prometeu.
1 Reis 21:29
Não viste que Acabe se humilha perante mim? Por isso, porquanto se
humilha perante mim, não trarei o mal enquanto ele viver, mas nos
dias de seu filho trarei o mal sobre a sua casa.
2 Crônicas 7:14
E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar,
e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então
eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
2 Crônicas 12:7
Quando, pois, o Senhor viu que se humilhavam, veio a palavra do
Senhor a Semaías, dizendo: Humilharam-se, não os destruirei; mas
dar-lhes-ei algum socorro, e o meu furor não será derramado sobre
Jerusalém por mão de Sisaque.
2 Crônicas 12:12
E humilhando-se ele, a ira do Senhor se desviou dele, de modo que
não o destruiu de todo; porque ainda havia coisas boas em Judá.
2 Crônicas 32:26
Todavia, como ele se humilhou com os habitantes de Jerusalém, do
orgulho de seu coração, não se desencadeou sobre ele a ira do Senhor,
durante sua vida.
2 Crônicas 34:27
Porquanto teu coração se comoveu e te humilhaste diante de Deus,
escutando o que eu disse contra esta terra e seus habitantes;
porquanto te humilhaste diante de mim, rasgaste tuas vestes
chorando, eu também te ouvirei - oráculo do Senhor.
2 Crônicas 36:12
Fez o mal aos olhos do Senhor, seu Deus, e não se humilhou diante
do profeta Jeremias que lhe tinha vindo falar da parte do Senhor.
Neemias 8:6
Esdras bendisse o Senhor, o grande Deus; ao que todo o povo
respondeu, levantando as mãos: Amém! Amém! Depois inclinaram-se
e prostraram-se diante do Senhor com a face por terra.
Miquéias 6:8

29
Já te foi dito, ó homem, o que convém, o que o Senhor reclama de ti:
que pratiques a justiça, que ames a bondade, e que andes com
humildade diante do teu Deus.
Mateus 18:4
Aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no Reino
dos céus.
Mateus 23:12
Aquele que se exaltar será humilhado, e aquele que se humilhar será
exaltado.
Lucas 14:11
Porque todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que
se humilhar será exaltado.
1 Pedro 5:6
Humilhai-vos, pois, debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele
vos exalte no tempo oportuno.

Mas de todas estas referências; talvez a que resume todo este
assunto da necessidade bizarra de humilhação humana diante de
Deus é a epístola de Tiago:

Tiago 4:10
Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará.

Será que alguém notou que geralmente a “humilhação” exigida é
seguida por um “prêmio”? Ou seja: Humilha-te, desprecia- e te
dou um presente. Simples assim! O crente humilha-se diante de
Deus (leia a definição da palavra e sua sinonímia para que saiba
o que significa) e Deus lhe dará seu prêmio por humilhar-se diante
dele.
• Numa empresa moderna, isso seria como premiar os
funcionários mais puxa-sacos e incompetentes e
desprezar e demitir os mais capacitados.

30
4 - O péssimo exemplo de Jesus

E sendo Jesus filho de Deus (Ou é o próprio Deus?), também
necessita de sua dose diária de humilhação humana para poder
fazer seus milagres. Se não se humilhassem diante de Jesus, ele
não fazia sua magia para curar os enfermos.

O patético exemplo disso é a história da Mulher Cananeia que foi
lhe pedir que livrasse sua filha de um espírito imundo que a
possuía, e Jesus não fez nada até que se humilhasse diante dele,
quando este então decide fazer-lhe o milagre.

Marcos 7:24-30
24 - Em seguida, deixando aquele lugar, foi para a terra de Tiro e de
Sidônia. E tendo entrado numa casa, não quis que ninguém o
soubesse. Mas não pôde ficar oculto, 25 - pois uma mulher, cuja filha
possuía um espírito imundo, logo que soube que ele estava ali, entrou
e caiu a seus pés. 26 - {Essa mulher era pagã, de origem siro-fenícia.}
Ora, ela suplicava-lhe que expelisse de sua filha o demônio. 27 -
Disse-lhe Jesus: Deixa primeiro que se fartem os filhos, porque não
fica bem tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cães. 28 - Mas ela
respondeu: É verdade, Senhor; mas também os cachorrinhos debaixo
da mesa comem das migalhas dos filhos. 29 - Jesus respondeu-lhe:
Por causa desta palavra, vai-te, que saiu o demônio de tua filha. 30 -
Voltou ela para casa e achou a menina deitada na cama. O demônio
havia saído.

Mateus 15:22-28
22 - E eis que uma Cananeia, originária daquela terra, gritava:
Senhor, filho de Davi, tem piedade de mim! Minha filha está
cruelmente atormentada por um demônio. 23 - Jesus não lhe
respondeu palavra alguma. Seus discípulos vieram a ele e lhe
disseram com insistência: Despede-a, ela nos persegue com seus
gritos. 24 - Jesus respondeu-lhes: Não fui enviado senão às ovelhas
perdidas da casa de Israel. 25 - Mas aquela mulher veio prostrar-se
31
diante dele, dizendo: Senhor, ajuda-me! 26 - Jesus respondeu-lhe:
Não convém jogar aos cachorrinhos o pão dos filhos. _ 27 -
Certamente, Senhor, replicou-lhe ela; mas os cachorrinhos ao menos
comem as migalhas que caem da mesa de seus donos... 28 - Disse-
lhe, então, Jesus: Ó mulher, grande é tua fé! Seja-te feito como
desejas. E na mesma hora sua filha ficou curada.

Portanto já sabe amigo crente: humilhe-se, dobre-se e
submeta-se a Jesus e a seu Deus. E se tem um pouquinho
só de orgulho, esqueça-o, disso Deus não gosta! Você deve
ser o mais insignificante e desprezível aos olhos de Deus.

5 - A perfeição versus a necessidade de humilhação

Recordemos que Deus é “perfeito” e ao ter esta condição significa
que em sua perfeição não necessita de nada. Não é estranho e
contraditório que Deus sendo perfeição absoluta deseje
encarecidamente que nos humilhemos diante dele? Qual a razão
deste insano desejo divino? Por quê necessita?

Também é preciso levar em conta que Deus é “onisciente”, ou
seja, que sabe tudo. Isto significa que Deus já sabe de antemão
se você irá ao paraíso ou se queimará no inferno. Se Deus já sabe
isso, qual a razão desse desejo incoerente de que nos
humilhemos, SE JÁ SABE QUEM SERÁ SALVO OU NÃO? Por acaso
isso não é apenas um jogo cruel e sádico de sua parte?

Certamente que o crente se consolará dizendo que “os caminhos
de Deus são misteriosos” e que depois de mortos e enterrados
saberemos porque Deus nos fez exigências tão absurdas.

32
6 - Cuidado ao NÃO humilhar-se!

Então é melhor o crente ficar esperto. Deus necessita muitas
coisas de você para lhe permitir chegar ao tão ansiado paraíso.
Mas uma dessas coisas é que o crente deve humilhar-se muito
diante dele.

Imagine a seguinte situação: Você como crente fanático se
esforçou durante toda sua vida para cumprir os mandamentos de
Deus; cuidar de seus estatutos, ler periodicamente a Bíblia, ir à
igreja, orar, contribuir economicamente com sua religião, ajudar
o próximo, fazer muitos atos de bondade em nome de Deus, etc.
e ao chegar na hora do juízo final Deus lhe diga:

• - Ei... mas não te humilhastes o suficiente. Não te
envergonhastes, te denegristes, te desonrastes, te
rendestes, te despreciastes, te submetestes, te
mortificastes, te menosprezastes, te oprimistes, te
pisoteastes, te agachastes, te inclinastes, te prostrastes, te
retratastes, te diminuístes e te arrastastes o suficiente,
então já queimar no inferno!

Já imaginou tal situação? Pois baseado na Bíblia, é isto que Deus
deseja de você. Muita humilhação.

Claro, o crente pego de surpresa e sem argumentos dirá que isso
é um engano e que Deus não quer isso (mesmo que a Bíblia o
diga muito claramente). O pobre crente tentará argumentar que
o tipo de “humilhação” que Deus deseja é algo diferente, uma
espécie de “aceitação” do grande poder e glória de Deus; e vira
certamente com muitos "simbolismos" com esta palavra. Mas é
pura banha de cobra, pois isto não está em harmonia com o que
é claro na Bíblia e com o carácter de Deus e Jesus, que é de
33
extrema arrogância em todos os sentidos possíveis de se
imaginar.

É mais que óbvio que a intenção de Deus é que o crente admita
sua miséria e insignificância diante dele. Que se humilhe e se
arrastre diante de seu grande poder de faz de conta. E até que
Deus não veja o crente submisso, humilhado, denegrido como
mais uma de suas criações, Deus não lhe dará seu “prêmio de
consolação”: o imaginário céu ou paraíso.

Em uma análise simples da Bíblia é fácil notar que é pouco
provável que esse deus histérico seja algo além de piada. Ele
deixa claro em seu livro primitivo que é um assassino consagrado,
que odeia os animais, as crianças, as mulheres e sua própria
criação, pois até tentou afogá-la num dilúvio.

Esse deus é completamente insano, pois não só exige do homem
uma série de complicados e difíceis mandamentos entre os quais
se destacam seus “10 mandamentos” que devemos cumprir
rigorosamente sem questionar (Ver: Os 10 Mandamentos), mas
além de tudo isso exige humilhação, como se todo o esforço para
cumprir seus mandamentos doentios não tivesse nenhum mérito
e, por fim, tudo se resume à humilhação. Se o crente não se
humilha, nem precisa cumprir nada de mandamentos. Por
sandices como estas é que os ateus se alegram por não crer em
deuses opressores e caprichosos.

34
3 - O deus imperfeito e a prova falsa de Abraão

1 - A fé de Abraão, uma prova desnecessária? >>>

A história de Abraão e o sacrifício de Isaque tem sido uma
bandeira para o cristianismo já que é o exemplo perfeito da
confiança e da fé em Deus e de que suas decisões não se
questionam.

A história é interessante. Se encontra no livro de Gênesis capítulo
22 versículos do 1 ao 24. Na verdade, todo o capítulo 22 trata
sobre este “acontecimento”. Leia aqui apenas os versículos
envolvidos no ponto que nos interessa:

35
2 - A prova do deus onisciente

Gênesis 22:1-3
1 - E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e
disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. 2 - E disse: Toma agora
o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de
Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que
eu te direi. 3 - Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada,
e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e
Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e
foi ao lugar que Deus lhe dissera.

Gênesis 22:9-13
9 - E chegaram ao lugar que Deus lhe dissera, e edificou Abraão ali
um altar e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho, e
deitou-o sobre o altar em cima da lenha. 10 - E estendeu Abraão a

36
sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho; 11 - Mas o
anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E
ele disse: Eis-me aqui. 12 - Então disse: Não estendas a tua mão sobre
o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a
Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho. 13 - Então
levantou Abraão os seus olhos e olhou; e eis um carneiro detrás dele,
travado pelos seus chifres, num mato; e foi Abraão, e tomou o
carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho.

Não resta nenhuma dúvida que a fé e confiança de Abraão é
impressionante, poucas pessoas fariam um ato semelhante,
assassinar seu próprio e único filho para obedecer a um Deus.
Verdadeiramente admirável. Porém, além da simples prova de fé,
há outras coisas a analisar. Comecemos pelo fato em si.

• Deus ordenou a Abraão realizar um sacrifício
humano.

Isto é por si só escandaloso. Se Deus é amor e bondade, como lhe
ocorre provar um de seus súditos ordenando-lhe fazer um
sacrifício humano? Ao mais puro estilo dos outros deuses, ordenou
queimar o pobre e inocente Isaque. E nem pense que é a primeira
vez que Deus exige e ordena sacrifícios humanos. A Bíblia nos
mostra vários exemplos.

E outro ponto interessante é uma característica de Deus bem
conhecida: a Onisciência Divina. Esta é a grande pergunta que
devemos fazer:

• Se Deus o sabe tudo e conhece nossos pensamentos,
para que queria provar a fé de Abraão se já conhece
se este tem ou não fé suficiente?

37
Obviamente Deus em sua onisciência sabia que não mataria
Isaque e quem terminou pagando por esta trollagem de Deus foi
um pobre carneiro que andava por ali, Deus não ia ficar sem sua
carne queimada.

Preste atenção no que diz o versículo 12 (12 - Então disse: Não
estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto
agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único
filho.), só quando Deus percebe que Abraão ia mesmo matar seu
filho é que Deus se dá conta que ele teme a Deus. Isto não é muito
onisciente e nem sábio, digamos assim. Se Deus já conhecia o
desenlace desta história, por que submeter o pobre de Abraão à
angústia da decisão de matar seu próprio filho? Isso não parece
nada sábio e muito menos perfeito.

38
O crente cristão geralmente alega algo como “essa história é para
demonstrar a enorme fé de Abraão”, mas qualquer um pode
perceber que era verdadeiramente desnecessário impor ao pobre
Abraão esses dilemas quando Deus já conhecia o final da prova.
Isso é apenas para os crentes que consideram essa fábula como
literal, pois muitos a considerarão como só um simbolismo ou uma
espécie de parábola (ou seja, um conto com uma moral), mas
como relato moralizante é impossível ver muito sentido nela.
Tanto quanto no outro bizarro teste de fé imposto por Deus ao
pobre Jó.

39
4 - Características do deus bíblico

Vamos revisar aqui todas as características básicas do deus
bíblico - descritas na Bíblias – e ver como são
contraditórias como todos os seus comportamentos
também descritos na Bíblia. Isto é como se a Bíblia criasse
e matasse Deus ao mesmo tempo.

É importante tratar de entender “O que é e como é esse Deus”, já
que o conceito de Deus varia muito entre as pessoas. Para muitos
Deus é somente uma espécie de “Energia Universal”, para outros,
Deus somos nós mesmos e inclusive para muitos outros Deus
poderia ser definido como a natureza que nos rodeia. Todas essas
definições não são de nosso interesse; no Ocidente, quando
alguém diz que é ateu e que não acredita em Deus se refere ao
Deus Judaico-cristão, o Deus que nos descreve a Bíblia e que é
adorado pela maioria da civilização ocidental. É sobre este Deus
que tratamos no presente trabalho. Ainda que em essência a
argumentação contra Deus se possa transferir ao resto dos
Deuses que existem e existiram no mundo, não são de nosso
interesse aqui e agora. Sei que a muitos cristãos não lhes agrada
a ideia de “conceptualizar” o seu Deus, já que segundo eles a
essência divina está acima disso e Deus é indefinível. Sem dúvida
a melhor maneira de conhecer Deus é através do que a Bíblia nos
diz sobre ele. Por sorte a Bíblia descreve em numerosas ocasiões
como é Deus e que características possui o que deixa
relativamente simples a nossa tarefa de defini-lo. Essas
qualidades divinas são por todos conhecidas, mas é importante
defini-las e estabelecer os limites correspondentes. Segundo a
Bíblia algumas das características de Deus são:

40
1 - Onipotência

Começaremos agora a analisar as diferentes características ou
qualidades que possui Deus com o objetivo de delimitar e
conhecer de maneira mais clara como se apresenta este ser
divino. Além disso, argumentaremos porque não acredito que
Deus seja um ser onipotente nem acredito que Deus seja o criador
de todas as coisas. Imagino que nenhum crente cristão se
atreveria a duvidar desta qualidade divina, já que é uma das mais
abundantes e claras em toda a Bíblia. Nomear todos os versículos
bíblicos que afirmam que Deus é todo poderoso seria uma tarefa
titânica. Todos os cristãos creem sem nenhuma dúvida que Deus
é todo poderoso e que é o criador de todas as coisas. Só citaremos
um versículo Bíblico para estarmos seguros desta qualidade:

Genesis 17:1
1 - Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o
SENHOR a Abrão, e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso, anda
em minha presença e sê perfeito.

Não há nenhuma razão para acreditar que do ponto de vista
racional e lógico Deus seja um ser “todo poderoso” e “criador de
todas as coisas”:

1 - A criação do mal

Se for verdade o que diz a Bíblia, que Deus criou todas as coisas,
então Deus também criou o mal e as calamidades humanas. Se
pararmos para pensar, isto é contraditório porque se pode dizer
que tudo o que Deus criou é bom e de suas criações não pode sair
o mal. Ainda que não acreditem, na Bíblia se diz em várias
ocasiões que Deus criou o mal e as calamidades:
41
Isaías 45:6-7
6.Para que se saiba desde o nascente do sol, e desde o poente, que
fora de mim não há outro; eu sou o Senhor, e não há outro. 7.Eu
formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu sou o
Senhor, que faço todas estas coisas.
Jó 42:11
11. Então vieram ter com ele todos os seus irmãos, e todas as suas
irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele
pão em sua casa; condoeram-se dele, e o consolaram de todo o mal
que o Senhor lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça
de dinheiro e um pendente de ouro.
Jó 5:18
18. Pois ele fere, mas dela vem tratar; ele machuca, mas suas mãos
também curam.
Gênesis 2:16
16 - E o Senhor Deus ordenou ao homem: "Coma livremente de
qualquer árvore do jardim, 17 - Mas não coma da árvore do
conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer,
certamente você morrerá".

Como podem ver nestes exemplos, sem dúvida Deus criou o mal
e as enfermidades. Também é conhecido o ditado popular “o mal
não existe, é só a ausência do bem”, isto não tem sentido, já que
a Bíblia trata e nomeia o mal como algo bem definido e não como
a ausência do bem.

2 - Literalidade

Deus não pode “literalmente” ser o criador de todas as cosas. Há
coisas que por definição Deus não as criou, o homem as criou. Por
exemplo: Deus não criou o aço que não existe na natureza, pois
é a combinação de ferro, carbono e outros tantos elementos. O
homem criou o aço, não Deus. Claro que o crente dirá: “Mas Deus
42
criou o ferro, o carbono e também o homem, portanto Deus é o
criador indireto do aço e de todas as coisas que o homem inventa
e fabrica”, aqui temos a palavra clave: “indireto”. Se a premissa
acima é correta: então Deus é o “Criador indireto de todas as
coisas”, o que deixa a sua perfeição muito limitada.

3 - Lógica

Um argumento que os nós ateus usamos com frequência para
demostrar à falta de lógica ao afirmar que Deus é todo poderoso
é o famoso argumento da “pedra pesada”. Se Deus é todo
poderoso e pode criar o que deseje, Poderia Deus criar uma pedra
tão pesada que nem ele mesmo pudesse levantá-la? Por simples
lógica, Deus não pode fazê-lo. Isto seria o mesmo que afirmar que
“Deus não pode evitar que a soma de uma unidade mais outra
unidade de como resultado duas unidades”, esta é uma
abordagem matemática básica e não pode ser quebrada nem
mesmo por Deus. Diante disso os crentes responderão: “Deus só
pode fazer coisas dentro da lógica”. Isso que dizer que Deus tem
um limitante “A Lógica”, convertendo-se assim em um ser limitado
a algo superior a ele e perderia sua essência perfeita. A
característica divina ficaria assim: “Deus é o criador de todas as
coisas logicamente possíveis”.

4 - Leis naturais

Este é um argumento levantado por Bertrand Russell: “as leis
naturais são independentes da criação divina” Deus deve acatar
as leis naturais, portanto estão acima de Deus. Vejamos um par
de exemplos: A lei da gravidade (9,8 mts/seg2) é a velocidade
com que a terra atrai os objetos para o seu centro; e o oxigênio
que forma o ar que respiramos (O2). A pergunta é a seguinte:
43
Porque Deus criou as leis naturais assim e não de outra forma?
Deus poderia ter feito a gravidade com valores mais baixos, desta
forma poderia evitar milhões de mortes por quedas, fraturas,
acidentes etc. Também Deus poderia fazer-nos respirar nitrogênio
e não oxigênio, já que o nitrogênio é mais abundante no ar que o
oxigênio, assim evitaria milhares de mortes por asfixia. O crente
cristão tem três possíveis respostas a isto:

• “Deus fez dessa maneira por que era o melhor para o
mundo”: O melhor? Tantas mortes por culpa da gravidade
e tantas asfixias são o melhor que Deus poderia fazer?
• “Deus fez assim porque ele faz o que deseja”: isto equivale
a dizer que “Deus faz o que lhe dá na cabeça” Que sentido
tem adorar um Deus caprichoso que faz as coisas só porque
lhe dá na telha?
• “Deus fez dessa maneira porque tinha que fazer assim”:
Deus está submetido às leis naturais. Esta é a única
maneira de que Deus poderia fazê-lo. Deus não poderia
criar a gravidade com um valor menor ou nos fazer respirar
nitrogênio porque as leis naturais o impediam. Ou seja,
Deus deve cumprir e acatar essas leis naturais. Um Deus
que está submetido a leis superiores a ele, perde sua
essência de perfeição absoluta.

Existem inumeráveis razões que nos indicam que a onipotência de
Deus está muito comprometida. Mas acredito que estas
abordagens são suficientes para abrir uma base de opiniões a
respeito com o crente cristão que deseje aprender mais sobre o
Deus que adora.

2 - Onisciência

44
Seguindo com a análise das qualidades de Deus veremos agora a
característica mais polêmica e controversa de Deus: sua
onisciência ou a capacidade de saber tudo. Tampouco acredito que
algum crente seja capaz de pôr em dúvida esta qualidade. Deus
sabe tudo. Sabe nosso passado, conhece nosso presente e sabe o
que nos acontecerá no futuro. Deus conhece tudo sobre todos nós
e sobre o mundo. O problema desta característica celestial é que
em muitas das minhas conversas com crentes cristãos parece que
não entendem muito bem o que significa e tendem a mal
interpretá-la. A melhor maneira de eliminar as dúvidas sobre isso
é investigar o que diz a Bíblia a respeito. Existem vários versículos
que esclarecem sobremaneira este ponto:

Jó 14:16
16.Mas agora contas os meus passos; porventura não vigias sobre o
meu pecado?
Jó 23:10
10.Porém ele sabe o meu caminho; provando-me ele, sairei como o
ouro.
Jó 42:2
2.Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos
pode ser impedido.
Salmos 44:21
21.Porventura não esquadrinhará Deus isso? Pois ele sabe os
segredos do coração.
Isaías 46:10
10.Que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as
coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho será
firme, e farei toda a minha vontade.
Jó 23:14
14.Porque cumprirá o que está ordenado a meu respeito, e muitas
coisas como estas ainda têm consigo.
Lucas 12:7
7.E até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não
temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos.
45
Como podem ver há muitíssimos versículos que asseguram que
Deus sabe tudo. O problema começa quando se afirma que o
homem tem “Livre arbítrio”, ou seja, que o homem tem liberdade
para escolher o que deseja. Este é um dos pontos mais quentes
da conversação Ateu-Cristã. É muito difícil harmonizar a ideia de
que podemos escolher livremente e que Deus já sabe todo nosso
futuro e que nossa história está escrita de antemão. Sem dúvida,
amigo crente, para você Deus já sabe quem será salvo e quem
não será. Isso Deus sabe, já que sabe tudo. Mas como posso eu
escolher se o meu destino já está escrito? Segundo essa premissa,
não importa o que eu decida, sempre terminarei cumprindo o que
Deus escreveu para mim. Não tenho saída. Muitos crentes tentam
responder a isso dizendo: “Deus pode saber o nosso futuro, mas
nós não sabemos”, saiba ele ou não isso não tem absolutamente
nenhuma influência nos acontecimentos futuros, já que
irremediavelmente acabarei cumprindo o que Deus quer. Além
disso, existem também vários versículos que negam que Deus
seja onisciente e que saiba tudo. É um tema espinhoso e
controverso que se levará várias linhas para debatê-lo e o
trataremos em numerosas oportunidades. Eu, por ser ateu não
acredito que o meu destino esteja escrito nem em nada do tipo.
Ninguém sabe o meu futuro. O futuro não existe, o vamos criando
dia após dia através de nossas decisões. Considero-me um ser
livre e não estou nesta vida para cumprir nenhum livro. Sei que
você, amigo crente, se considera livre para escolher o que deseja,
porém isso não contradiz tudo que existe na sua Bíblia sobre Deus
e sua onisciência? Sim.

3 - Onipresença

46
Deus está em toda parte, o tempo todo. Isto sabe qualquer crente.
Mas lamentavelmente a Bíblia não é muito clara a respeito e
existem poucos versículos que nos indicam isto de forma pontual.
Ao dizer que Deus se encontra em todo lugar se assume outra
característica divina: a Invisibilidade. Deus é em essência um ser
invisível e etéreo. Claro, tem que ser; nada que seja visível está
em todo lugar ao mesmo tempo. A imaterialidade é um requisito
obrigatório para cumprir esta premissa. As qualidades de
onipresença e invisibilidade trazem consigo vários problemas ao
tentar entender isto de forma racional. Apesar de que Deus está
em todo lugar, a Bíblia nos diz que Deus foi visto de maneira
precisa em várias oportunidades; inclusive até falou com várias
pessoas em determinadas ocasiões; isto significa que para ser
visto e escutado em um momento e lugar preciso deveria estar ali
e não em todos os lugares. Também, fazer-se visível para várias
pessoas sem dúvida deixou de ser invisível, já que as coisas
invisíveis não se podem ver. É impossível dizer com toda
segurança que Deus é invisível, já que foi visto em várias
oportunidades:

Gênesis 32:30
30.E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho
visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.
Êxodo 24:10-11
10.E viram o Deus de Israel, e debaixo de seus pés havia como que
uma pavimentação de pedra de safira, que se parecia com o céu na
sua claridade. 11.Porém não estendeu a sua mão sobre os escolhidos
dos filhos de Israel, mas viram a Deus, e comeram e beberam.
Êxodo 31:18
18.E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte Sinai)
as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo
de Deus.
Êxodo 33:11

47
11.E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala com
o seu amigo; depois se tornava ao arraial; mas o seu servidor, o
jovem Josué, filho de Num, nunca se apartava do meio da tenda.
Êxodo 33:23
23 - E, havendo eu tirado a minha mão, me verás pelas costas; mas
a minha face não se verá.

1. Então, Deus é invisível ou não?
2. Ou só é invisível às vezes?

Há outra coisa que atenta contra a invisibilidade e o caráter etéreo
de Deus, é que Deus tem dedos, cara e costas (Gênesis 32:30;
Êxodo 31:18; Êxodo 33:23) isto equivaleria a dizer que Deus está
composto por algo físico que se pode ver o que atentaria contra a
sua condição de ser espiritual o imaterial.
• É muito difícil sustentar que Deus é um ser espiritual e
invisível quando a própria Bíblia nos diz o contrário.

Como ponto final, quero fazer uma observação à maneira de
piada:
1. Por que quando o crente quer referir-se a Deus sempre olha
ou aponta para cima, para o céu?
2. Se Deus está em todo lugar, não tem sentido buscá-lo no
céu nem entre as nuvens – ELE ESTÁ EM TODO LUGAR. Ou
não?
3. Curioso, não?

4 - Imutabilidade

Uma qualidade divina que parece estar muito claramente
estabelecida nas “Santas Escrituras”, mas que por sua vez a
própria Bíblia se contradiz é a: Imutabilidade. Isto em poucas
palavras é: “Deus é o mesmo desde sempre, ele não muda.”. Ser
48
imutável significa ser sempre o mesmo, sem experimentar
nenhum tipo de mudança ou alteração. Não mudam nem Deus,
nem seus desígnios. A Bíblia nos diz em várias oportunidades que
isto é correto, Deus não muda:

Salmos 102:27
27.Porém tu és o mesmo, e os teus anos nunca terão fim.
Salmos 33:11
11.O conselho do SENHOR permanece para sempre; os intentos do
seu coração de geração em geração.
Tiago 1:17
17.Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo
do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de
variação.
1 Samuel 15:29
29.E também aquele que é a Força de Israel não mente nem se
arrepende; porquanto não é um homem para que se arrependa.
Malaquias 3:6
6.Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó,
não sois consumidos.
Hebreus 13:8
8.Mas, do Filho, diz: O Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos
séculos; Cetro de equidade é o cetro do teu reino.

E muitos outros.
Apesar de todos estes versículos que sem dúvida afirmam que
Deus é Imutável, também em várias ocasiões a própria Bíblia
parece afirmar o contrário que Deus muda de opinião e não é o
mesmo desde sempre:

Gênesis 6:6-7
6.Então se arrependeu o SENHOR de haver feito o homem sobre a
terra e pesou-lhe em seu coração. 7.E disse o SENHOR: Destruirei o
homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao

49
animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de
havê-los feito.
Êxodo 32:14
14.Então o SENHOR arrependeu-se do mal que dissera que havia de
fazer ao seu povo.
Jonas 3:10
10.E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau
caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes
faria, e não o fez.
2 Samuel 24:16
16.Estendendo, pois, o anjo a sua mão sobre Jerusalém, para
destruí-la, o SENHOR se arrependeu daquele mal; e disse ao anjo
que fazia a destruição entre o povo: Basta, agora retira a tua mão. E
o anjo do SENHOR estava junto à eira de Araúna, o jebuseu.

Podemos ver claramente duas coisas aqui:

1. Ou a Bíblia se contradiz em várias ocasiões,
2. Ou isso da “Imutabilidade Divina” é algo ambíguo e não
deve ser levado muito a sério.
3. Em qualquer dos casos Deus parece meio fora da casinha.

Outro fator que compromete a Imutabilidade de Deus é o fato que
no passado ele mesmo cometeu atos reprováveis e logo depois
mudou de caráter com respeito às suas ações. Por exemplo, todos
nós recordamos os fatos ocorridos durante o diluvio universal ou
na destruição das cidades de Sodoma e Gomorra, ambos os fatos
narrados no Gênesis. Nestas duas situações houve uma destruição
total dos seres humanos incluindo crianças e animais inocentes,
ao que parece foram realizados diretamente por Deus para
erradicar o mal de ambos os lugares. Imagino que o crente estará
de acordo comigo de que em ambos os fatos morreram crianças
completamente inocentes dos pecados de seus pais. Claro, você
também dirá que Deus teve suas razões para fazê-lo. Em todos

50
os casos em várias oportunidades Deus no Antigo Testamento se
nos apresenta como um Deus combativo e vingativo, que
promoveu múltiplas guerras e inclusive assassinou em várias
ocasiões pessoas por sua própria conta. Já no Novo Testamento
vemos um Deus completamente diferente, um Deus que é todo
amor e ternura e que parece esquecer seu passado quando era
chamado “Deus dos Exércitos”.
• Se isto não é mudar, não sei o que seria!

5 - Sabedoria infinita

A sabedoria de Deus é uma das características divinas mais
conhecidas pelo crente. Deus é infinitamente sábio e nunca se
equivoca. A Bíblia é bem específica em centenas de versículos.

Jó 9:4
4.Ele é sábio de coração, e forte em poder; quem se endureceu
contra ele, e teve paz?
Jó 12:13
13.Com ele está a sabedoria e a força; conselho e entendimento
têm.
Isaías 40:28
28.Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador
dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu
entendimento.
Daniel 2:20
20.Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de
eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força;

Como é lógico pensar, a Bíblia ao ser totalmente inspirada por
Deus, não tem erros; nem Jesus, a materialização física de Deus,
tampouco se equivoca ou jamais se equivocou. Bom, descrever
todos os erros e contradições da Bíblia levaria muito tempo, já
51
que são muitos, descrever os erros de Jesus também, assim para
não fazer um cansativo trabalho de análise citaremos apenas uns
“pequenos equívocos” de Jesus tal como se encontra na Bíblia:

Mateus 16:28
28 - Em verdade vos digo que alguns há dos que aqui estão que não
provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino.

Isto, tomado de forma literal é um erro, pois morreram todos os
dessa geração e Jesus ainda não voltou. Morreram várias gerações
e o esperado regresso de Jesus não aconteceu. Claro, você como
crente dirá: “não se deve entender isso de modo literal”, sim, é
fato que Jesus usava parábolas para exemplificar algumas partes
de sua doutrina; porém quando fazia isso ele declarava
antecipadamente. Em nenhuma parte se assume que isto é uma
parábola. Outros crentes afirmam que a geração a que se refere
o versículo não é literal e logo começam a procurar cálculos de
anos e a fazer estranhas explicações do que poderia ser uma
“geração”. Os próprios crentes tratam logo de consertar esse
equívoco evidente, sem sucesso é claro.

Mateus 12:40
40 - Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da
baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio
da terra.

Este é um dos equívocos mais claros e evidentes de Jesus-Deus.
Neste versículo profetizou que ressuscitaria depois de três dias e
três noites. Todos nós sabemos que Jesus esteve no túmulo no
máximo por um dia e meio, morreu em uma tarde de sexta-feira
e já na manhã de domingo foi ressuscitado. Para cumprir o que o
verso diz ele tinha que ter saído do túmulo na manhã de segunda-
feira. Não há praticamente nenhuma explicação razoável para
52
isso, a menos que você amigo cristão comece de novo a fazer
cálculos para dar aos "três dias e três noites” significados
diferentes.

Marcos 7:14-15
14.E, chamando outra vez a multidão, disse-lhes: Ouvi-me vós,
todos, e compreendei. 15.Nada há, fora do homem, que, entrando
nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isso é que contamina o
homem.

Eu sei que os crentes cristãos têm dado milhares de interpretações
a estas palavras de Jesus, alguns dizem que se refere ao pecado,
à palavra ou a centenas de outras coisas. Mas a verdade é que
Jesus quis fazer uma comparação de qualquer uma destas
interpretações possíveis com o que entra literalmente no homem
(comida, por exemplo) e o que sai (fezes). Certamente, Jesus ao
possuir sabedoria infinita deveria saber que existem milhões de
coisas que, quando ingeridas podem contaminar o corpo causando
doenças e até a morte. Portanto, esta besteira de que "Nada
existe fora do homem e que ao entrar nele o possa contaminar” é
um erro gigantesco para um ser que se denomina Deus.

Estes são apenas três exemplos e como dissemos anteriormente,
citar todos seria tarefa impossível. Em muitas oportunidades
analisaremos outros tantos erros com mais calma e atenção.

Certamente que o leitor crente cristão deve ter muitas respostas
premeditadas para poder a duras penas justificar todos estes
erros, a desculpa mais comum utilizada nesses casos é: “a Bíblia
necessita ser interpretada”, claro, com esta resposta podem
responder a todos os erros que aparecem nas santas escrituras.
Você amigo crente já usou esta desculpa alguma vez?

53
6 - Justiça infinita

Agora comentaremos brevemente sobre uma característica divina
que a meu modo de ver é uma das mais citadas na Bíblia, mas
por sua vez é uma das que menos atenção recebe, “A Justiça
eterna de Deus”. A “santa palavra” afirma em numerosas ocasiões
que Deus é infinitamente justo e que dará a cada um, o que
merece.

Deuteronômio 10:17
17.Pois o SENHOR vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos
senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção
de pessoas, nem aceita recompensas;
1 Pedro 1:17
17 - E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas,
julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo
da vossa peregrinação,
Gálatas 2:6
6 - E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham
sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do
homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me
comunicaram;
1 João 3:7
7 - Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo,
assim como ele é justo.

… e muitos outros.

Apesar de todos estes inumeráveis versículos que avaliam a
justiça divina, às vezes paramos para pensar se isso tem algum
fundamento. É verdade que deus é um ser justo e que sua criação
é justa? Certamente é necessário muita ingenuidade para pensar
que o mundo é ou alguma vez foi um lugar justo. Praticamente
tudo o que nos rodeia está cheio de injustiças: vemos dia a dia
54
como gente desonesta progride na vida enquanto gente honesta
sofre desgraças não merecidas. Observamos como os desastres
naturais tiram a vida de milhões de pessoas inocentes; sobretudo
as maiores vítimas da injustiça humana, as crianças, são elas que
normalmente sofrem as maiores consequências da falta de justiça
a cada momento. Se o crente leitor ainda acredita que a história
bíblica do dilúvio é correta, terá que admitir que neste caso
tivessem que morrer crianças inocentes sem absolutamente
nenhuma culpa dos erros de seus progenitores. Dessa história
absurda surge uma grande dúvida, uma dúvida que deve corroer
até o cérebro de muitos crentes: Por que se Deus é justo, tiveram
que morrer crianças inocentes nesse dilúvio? Jamais se obteve
uma resposta convincente de qualquer crente, mas certamente
muitos se consolam com o conhecido autoengano de que “Deus é
misterioso e sabe o que faz”, mas lá no fundo sabem não é uma
resposta para nada.

Amigo crente, vejamos um exemplo clássico, que certamente
você acredita que pode ocorrer: Vamos supor que um ateu
qualquer, por exemplo, da Suécia (utilizo este país como exemplo
porque é um dos países com maior porcentagem de ateus e menos
crimes), esta pessoa ateia tem uma ficha de vida inatacável,
nunca cometeu um crime nem qualquer coisa reprovável, bom
esposo e grande pai, um bom amigo; com problemas e defeitos,
claro, como todos nós, mas em termos gerais e diante da
sociedade é um cidadão íntegro. Coloquemos no outro extremo,
um assassino em série, violador e pedófilo (esta classe de
criminosos lamentavelmente é comum) cuja vida é uma desgraça,
tanto para ele como para os que o rodeiam e que por seus atos
destruiu a vida de muitas pessoas. Imaginemos que ambos
morrem. Coisa que certamente ocorrerá algum dia, mas o ateu
morre sem aceitar Jesus como seu salvador e morre sendo ateu,
apesar de ter sido bom em toda a sua vida; o assassino momento
55
antes de morrer se arrepende e aceita Jesus em seu coração,
claro, me refiro a uma conversão real, sincera e totalmente
honesta, este assassino se arrepende de verdade de seus
pecados. Segundo a crença cristã (e você como crente cristão
estará de acordo) o ateu irá quase sem nenhuma dúvida ao
inferno, ou ao lugar de condenação que exista, pela simples razão
de que rompeu nada mais nada menos que o mandamento mais
importante, “Amar a Deus sobre todas as coisas”. E no segundo
caso, o do assassino arrependido, irá ao paraíso ou a seu
equivalente de recompensa divina, por ele apenas ter tido a sorte
de haver se arrependido a tempo. Estou certo de que o leitor
cristão dirá: "Bem, cada um teve a oportunidade de escolher e
escolheu”; concordamos, mas essa não é a discussão, o que se
discute é se isto é justo ou não.

Sejamos sinceros, parece-lhe justa a condenação do ateu decente
e o prêmio do assassino arrependido? Sua resposta deveria
oferecê-la aos familiares e seres queridos das vítimas do
assassino.

7 - Verdade Infinita

De fato, Deus não mente, ele é completamente verdadeiro e
preciso em suas palavras. Sobre isso concordam todos os crentes,
este é, sem dúvida, um atributo essencial de Deus. Vamos
examinar brevemente alguns versos que dizem isso para ficarmos
mais seguros:

Tito 1:2
2.Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir,
prometeu antes dos tempos dos séculos;
Romanos 3:4

56
4.De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o
homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em
tuas palavras, E venças quando fores julgado.

1. OK, este ponto está claro agora. Deus não mente.
2. Correto?

Sem levar em conta as numerosas contradições e erros que
poderia ter a Bíblia, as quais podem ser interpretadas como
mentiras ou erros, há dois versículos que de fato confundem o
leitor e parece que Deus mentiu de forma descarada, inclusive ele
mesmo descobrindo o engano.

Jeremias 7:22
22.Porque nunca falei a vossos pais, no dia em que os tirei da terra
do Egito, nem lhes ordenei coisa alguma acerca de holocaustos ou
sacrifícios.

Este é um versículo bastante comprometedor para Deus, porque
afirma que não decretou algumas ordens, das quais há milhares
que confirmam que essas ordens foram dadas. Citar aqui todos os
versículos onde Deus ordenou fazer holocaustos e sacrifícios seria
um trabalho realmente esgotador devido à enorme quantidade
deles. Mas isso não é necessário, pois o próprio Deus responde a
si mesmo confessando que mentiu cinicamente.

Ezequiel 20:25-26
25.Por isso também lhes dei estatutos que não eram bons, juízos
pelos quais não haviam de viver; 26.E os contaminei em seus
próprios dons, nos quais faziam passar pelo fogo tudo o que abre a
madre; para assolá-los para que soubessem que eu sou o SENHOR.

57
• Aqui o mesmíssimo Deus reconhece que havia ordenado
holocaustos e sacrifícios, contradizendo o dito em Jeremias
7:22.

Mas uma das coisas mais curiosas sobre as “mentirinhas” de Deus
é a famosa “primeira mentira”. Este é um argumento muito usado
pelos ateus porque é interessante e sugestivo. Se perguntarmos
a um crente medianamente informado sobre o Gênesis e a origem
do homem segundo a Bíblia:

Qual foi a primeira mentira?

Acredito que depois de pensar um pouco responderia:
“A primeira Mentira foi dita por Satanás a Eva”, e neste caso o
crente estaria se referindo a Gênesis 3:4-5 (4.Então a serpente
disse à mulher: Certamente não morrereis. 5.Porque Deus sabe
que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e
sereis como Deus, sabendo o bem e o mal ...),
Mas esta é a primeira mentira? Não, a primeira mentira é esta:
Gênesis 2:16-17 (16.E ordenou o SENHOR Deus ao homem,
dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, 17.Mas
da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás;
porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.),
obviamente isto é mentira, no dia em que Adão comeu deste fruto
não morreu. A prova está em Gênesis 5:3-5 (3.E Adão viveu
novecentos e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança,
conforme a sua imagem, e lhe pôs o nome de Sete. 4.E foram os
dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou
filhos e filhas. 5.E foram todos os dias que Adão viveu novecentos
e trinta anos, e morreu.), ou seja, ele viveu muito tempo depois
que comeu o fruto da árvore.
Como se pode ver, a primeira mentira foi dita pelo próprio Deus e
não por Satanás como geralmente se costuma crer. Também
58
sabemos que os crentes possuem milhares de desculpas para
justificar isto, sejamos sinceros, não é algo muito suspeito?

• Deus é o pai da mentira?
• Sim, sem dúvida!

8 - Amor Infinito.

Se existe uma frase que resume todos os sentimentos e
pensamentos do cristão sincero, esta frase é: “Deus é amor.”
Palavras retiradas de 1 João 4:8 (8.Aquele que não ama não
conhece a Deus; porque Deus é amor.). Tenho absoluta certeza
de que o cristão acredita nesta frase. O cristão devoto, leal e
convencido possui Deus e Jesus como primeiro pensamento ao
acordar e último ao dormir. Jamais duvida de sua existência por
um momento sequer e nem ao menos por um momento passa por
sua cabeça o pensamento de que Deus e Jesus não sejam puro
amor e bondade. Ele “sabe” que Deus é bom e que os maus somos
nós e nossas decisões. Deus jamais tem culpa de nosso
comportamento.

• Esse comportamento não muda até que o crente passe a
ler a bíblia de forma imparcial e crítica, coisa que a grande
maioria evita por medo de perder a fé, pois é cada vez mais
comum a frase “Deixei de ser cristão depois de ler a Bíblia”.

Isso assusta os devotos, para eles perder a fé seria como perder
o chão. Ele perceberá e será obrigado a admitir que haja no
mundo muitos males dos quais o homem não tem culpa e terá que
atribuir isso a Deus, o que é motivo de verdadeiro pânico em sua
estreita forma bíblica de pensar. Serão obrigadas a usar as
famosas desculpas: “Minha mente é limitada para entender a

59
mente de Deus.” E a grande pérola, “Os caminhos de Deus são
misteriosos”.

A Bíblia diz em numerosas ocasiões que Deus é bondade, amor e
misericórdia:

João 3:16
16.Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha
a vida eterna.
Tito 3:4
4.Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso
Salvador, para com os homens,
1 Timóteo 4:4
4.Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar,
sendo recebido com ações de graças.

Se pensarmos um pouco notaremos de que esta concepção de “O
Deus bom” vem basicamente do Novo testamento, pois no Antigo
Testamento Deus é um deus guerreiro e na maioria dos casos
assassino e sanguinário.

Números 31:17-18
17.Agora, pois, matai todo o homem entre as crianças, e matai toda
a mulher que conheceu algum homem, deitando-se com ele.
18.Porém, todas as meninas que não conheceram algum homem,
deitando-se com ele, deixai-as viver para vós.
Deuteronomio 7:23
23.E o SENHOR teu Deus as entregará a ti, e lhes infligirá uma
grande confusão até que sejam destruídas.
Deuteronomio 28:63
63.E será que, assim como o SENHOR se deleitava em vós, em
fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim o SENHOR se deleitará em

60
destruir-vos e arruiná-los; e arrancados sereis da terra a qual
passais a possuir.
1 Samuel 15:2-3
2.Assim fala o Senhor dos exércitos: Vou pedir contas a Amalec do
que ele fez a Israel, opondo-se lhe no caminho, quando saiu do
Egito. 3.Vai, pois, agora e fere a Amaleque; e destrói totalmente a
tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem
até à mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até
às ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos.
Isaías 37:36
36.O anjo do Senhor apareceu no campo dos assírios e feriu cento e
oitenta e cinco mil homens. No dia seguinte, de manhã, ao
despertar, só havia lá cadáveres.

Vemos com assombro como Deus ordena fazer coisas
verdadeiramente abomináveis e ele próprio assassinou com suas
próprias mãos a muitas pessoas, assim como matanças onde
morreram crianças inocentes (Sodoma, Gomorra e o Dilúvio
Universal) O verdadeiramente surpreendente disso é que se Deus
é imutável, como afirmam as escrituras (Salmos 102:27 – Salmos
33:11 – Tiago 1:17 – 1 Samuel 15:29 – Malaquias 3:6 – Hebreus
13:8 etc.), porque muda de um Deus de guerra e assassino para
um Deus de amor e bondade? Se Deus é imutável porque mudou?
O que fez Deus mudar de opinião?

Sempre que perguntarmos sobre isso a um cristão devoto
ouviremos pérolas como “Deus não é responsável pelo mal, são
os homens os culpados pelas tragédias do mundo.” Hoje até
mesmo a grande maioria dos cristãos sabe que isso não é correto.
A própria Bíblia nos diz que Deus é o criador do mal (Isaías 45:6-
7 - Jeremias 18:11– Amós 3:6) e que os homens não causam
todas as tragédias, como os desastres naturais (vulcões,
terremotos e tsunamis), que são independentes da ação humana
e têm ocorrido desde sempre e, claro, as vítimas inocentes desses
61
desastres são inumeráveis. “Deus é amor” … pode ser… mas
também, segundo a Bíblia, é um ser que cometeu muitos
assassinatos, injustiças e abusos. Ao que parece se pode ser bom
e mau ao mesmo tempo. Isso não é surpresa, assim somos todos
nós, às vezes bons, às vezes maus, mas sempre tentando inclinar
a balança para a bondade. Será que Deus é exatamente igual a
nós? Pois a Bíblia afirma que “Fomos criados à sua imagem e
semelhança”.

Será que o correto não seria: “E criou o homem, deus à sua
imagem e semelhança”. Tudo leva a crer que sim!

9 - Perfeição Absoluta.

A “Perfeição” é a característica de Deus que resume todas as
qualidades anteriores. Ao dizer que Deus é perfeito, se assume
que é um ser isento de falhas e erros. Um estudo crítico da Bíblia
vai nos dar dúvidas bastante sensatas sobre cada uma destas
qualidades, pelo que o termo “Perfeição Divina” se faz bastante
débil, suscetível e duvidoso. A Bíblia nos diz em várias
oportunidades que Deus é perfeito:

Mateus 5:48
48.Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito.
2 Samuel 22:31
31.Os caminhos de Deus são perfeitos; a palavra do Senhor é pura.
Ele é o escudo de todos os que nele se refugiam.
Salmos 18:30
30.Os caminhos de Deus são perfeitos, a palavra do Senhor é pura.
Ele é o escudo de todos os que nele se refugiam.

62
Se levarmos em conta todas as características e qualidades
divinas se observa dramaticamente que Deus é tudo menos um
ser perfeito, vejamos este assunto desde outra perspectiva:

1. Algo que seja “Perfeito” significa que está livre de erros, é
algo que não necessita de nada devido ao seu grau de
perfeição.
2. Deus, por ser uma criatura absolutamente perfeita não
deveria precisar de nada, é um ser pleno e perfeito, sem
mancha, portanto não necessita de absolutamente nada.
3. Sabemos que não é assim, Deus necessita
desesperadamente de nós, deseja muitas coisas de nossa
parte e temos a obrigação de dar-lhe ou pagaremos as
consequências.

Esta é uma pergunta que faço aos crentes:

1. Porque um ser que, em essência, é a perfeição absoluta
necessita tantas coisas de nós?
2. Deus necessita que o adoremos, necessita que o
veneremos, necessita de nossas orações, de nosso tempo,
de nossas obras, enfim… Para um ser totalmente perfeito,
necessita de muitas coisas!

Comentar todos os versículos bíblicos que indicam coisas que
Deus quer e necessita, como rezas, orações, tributos, sacrifícios,
holocaustos, mandamentos, estatutos, atividades e tantos mais,
seria muito extenso e a maioria os crentes os conhece. Só
comentaremos um que mostra como Deus deseja
exasperadamente nossa humilhação

1 Pedro 5:6
6.Humilhai-vos, pois, debaixo da poderosa mão de Deus, para que
ele vos exalte no tempo oportuno.
63
De fato, se você é um cristão devoto e trata de ser uma “pessoa
em Cristo”, é muito provável que desperdice grande parte de sua
energia, tempo e inclusive dinheiro para agradar esse Deus tão
perfeito que não necessita de nada, porém deseja
desesperadamente um monte de coisas. Imaginemos Deus antes
da criação do mundo. Um Deus totalmente perfeito que de repente
necessita criar um mundo e enchê-lo de criaturas para que o
adorem. É muito estranho isso! Já que em seu estado de perfeição
não deveria querer ou necessitar de nada. O que levou Deus a
criar este mundo e seus moradores se ele era perfeito? Além
disso, recordemos que Deus é onisciente e que Deus já devia
saber sobre as consequências deste mundo que criaria. Falando
sério, amigo crente, Nunca havias pensado nisso? Nunca lhe
passou pela cabeça estas coisas? Existem várias outras
características sobre Deus, porém guiando-nos pela palavra da
Bíblia, estas resumem muito bem o que queremos dizer quando
falamos de Deus. Quando digo que “Não creio em Deus” digo
implicitamente que não creio que Deus seja onipotente, nem que
seja imutável, nem que seja amor ou perfeito, nem qualquer
dessas características. Obviamente o amigo crente não estará de
acordo, mas terá que conviver com o fato de que a Bíblia está a
meu favor e contra as ideias do crente acerca de seu próprio Deus.

64
5 - Paradoxos e contradições >>>

Ao deus bíblico (e a qualquer outra deidade criada pela a mente
humana) foi adicionada uma série de paradoxos que torna
impossível a sua existência. Quando os autores destes seres
mitológicos os criaram século após século, relato após relato, não
perceberam que estavam compondo um personagem tão carente
de lógica, que o crente teve que imaginar um ramo acadêmico
que tentasse explica-lo; com raciocínios filosóficos obtusos e
enredados com o objetivo de demostrar a si mesmo e ao resto
das pessoas, que esse personagem que lhes haviam vendido não
podia ser una mera fantasia (teologia).

65
Se usarmos as qualidades do deus bíblico em particular:
onipresença, onibenevolência, onisciência, onipotência, etc.,
podemos observar facilmente a impossibilidade de um ser com
tais características. Este subproduto de divindades anteriores,
chamado Deus (do grego Zeus) e composto por duas deidades
distintas (El e Yavé) é um personagem impossível e
autocontraditório. Ao crente religioso judaico-cristão atual só lhe
resta como desculpa em defesa de suas crenças afirmarem que
estas contradições são “mistérios” e o comportamento deste ser
literário “um caminho misterioso” e “inescrutável”. (Já
conhecemos a facilidade que possui esse tipo de pessoa para usar
“tapa-furos” quando algo contraria suas crenças absurdas).

Para comprovar se esse “ser” pode existir ou não, o que faremos
é presumir que esse personagem literário existe e possui as
qualidades que os autores que o compuseram lhe atribuem.

1 - Onipotência

1 - Paradoxo da onipotência (M. H. Swan):

1. Poderia deus criar uma pedra que nem ele mesmo poderia
levantar?
2. Deus em sua infinita onipotência pode criar tal pedra, mas
se o faz, deixará de ser onipotente, já que não poderá
levantá-la.

2 - Adição ao paradoxo da onipotência (J. L. Cowan):

1. Ou Deus pode criar uma pedra que ele não pode levantar,
ou ele não pode criar uma pedra que não possa levantar.

66
2. Se Deus pode criar uma pedra que não é capaz de levantar,
então Deus não é onipotente (Já que ele não pode levantar
a pedra em questão).
3. Se Deus não pode criar uma pedra que ele não possa
levantar, então Deus não é onipotente (Já que ele não pode
criar a pedra em questão).
4. Portanto Deus não é onipotente.
5. Se Deus não é onipotente, não é Deus.

3 - Contradição da onipotência com a Onibenevolência:

1. Se o mal é a ausência do bem e devido a isso Deus não
pode atuar contra o mal, não é onipotente.
2. Se puder atuar, mas não quer fazê-lo, não é
onibenevolente.

4 - Tentativas de solução

Para que o problema fosse resolvido, diversas tentativas foram
elaboradas. Por exemplo, poder-se-ia assumir que o deus
onipotente também é capaz de aprender e progredir, logo Ele
criaria a pedra inamovível e em seguida já teria poder suficiente
para levantá-la, sendo assim omnipotente. Contudo este
problema ainda não pode ser resolvido desta maneira, pois com
uma pequena alteração do questionamento, a onipotência é
colocada novamente em cheque: Deus poderia criar uma pedra
que nunca poderia mover?

Uma tentativa de solução relacionada ao problema, dentro dos
padrões teológicos, é arbitrariamente decretar que "Deus está
acima da lógica humana, não estando submisso a esta". Dessa
forma, seria hipoteticamente possível que Deus fosse onipotente
e sua existência poderia ser cabível com o paradoxo da
67
onipotência. Mas tal afirmação é considerada uma variação da
falácia argumento da ignorância.

Tomás de Aquino tentou responder esta questão de forma
elaboradamente complexa. Ele diz que a onipotência de Deus não
está em fazer atos impossíveis, e sim poder fazer todos os atos
possíveis (Quem criou as coisas impossíveis até para Deus?).
Logo, há coisas que Ele mesmo não pode fazer, sem que com isso
perca sua onipotência, segundo a definição dada pelo filósofo.
Poder-se-ia citar outras capacidades impossíveis para Deus:

1. Deus não pode fazer eu alguém parado e correndo ao
mesmo tempo (mesmo corpo)
2. Deus não pode fazer um círculo ser ao mesmo tempo um
triângulo.
3. Deus não pode fazer alguém mais poderoso que Ele (dizer
que pode é o mesmo que afirmar que Ele não tem poder
extremo e que alguém pode ser superior a Ele)
4. Deus não pode fazer o passado deixar de ter existido. Já
era, se aconteceu, não pode deixar de ter acontecido.

São Tomás de Aquino se expressa nas seguintes palavras: Deus,
pela perfeição do seu poder, pode tudo, mas lhe escapa à potência
o que não tem natureza de possível. (Quem criou a natureza do
impossível?) Assim também, se atendermos à imutabilidade do
seu poder, Deus pode tudo o que pôde; porém, certas coisas que,
antes quando eram factíveis, tinham a natureza de possível, já
não a têm quando feitas. E, então dizemos que não as pode, por
não poderem elas ser feitas. Pode-se concluir que Tomás de
Aquino afirma que a onipotência não existe, e que Deus não é
onipotente.

68
São Jerônimo diz: Deus, que pode tudo, não pode fazer que uma
mulher violada seja não-violada. Para o caso do passado deixar
de ter acontecido diz: "O poder de Deus, como dissemos, não
abrange o que implica contradição. Ora, o passado não ter sido
implica contradição. Pois, assim como a implica dizer que Sócrates
está e não está sentado, assim também que esteve e não esteve
sentado. Porque, se dizer que esteve sentado é enunciar um
passado, dizer que não o esteve é enunciar o que não se deu. Por
onde, não está no poder divino tornar inexistente o passado. E é
o que diz Agostinho: Quem diz: se Deus é onipotente torne o feito
não feito, não vê que diz: se é onipotente torne falso o que em si
é verdadeiro. E o Filósofo: Deus só está privado de tornar o feito
não feito". Ou seja, São Jerônimo afirma que Deus está submisso
ao tempo e, portanto não tem poder sobre ele, então não sendo
onipotente.

Santo Agostinho diz: “Aquele que diz: ‘Se Deus é onipotente, faça
que o que foi feito não tenha sido feito’, não percebe o que está
dizendo: ‘Se Deus é onipotente que ele faça que o que é
verdadeiro, enquanto tal, seja falso’.” “A Deus só lhe falta isso:
tornar não feito o que foi feito”. Afirmação que recorre ao mesmo
erro de São Jerônimo.

2 – Onibenevolencia

1 - Paradoxo do mal (Epicuro):

1. Ou Deus quer evitar o mal e não pode;
2. Ou Deus pode e não quer;
3. Ou Deus não quer e não pode;
4. Ou Deus pode e quer.

69
2 - Adição ao paradoxo do mal (Lactâncio):

1. Se Deus quer [evitar o mal] e não pode, então é impotente,
e isto contraria a condição de Deus.
2. Se Deus pode e não quer, então é mau, e isto é igualmente
incompatível com Deus.
3. Se Deus não quer e não pode, então é mau e impotente, e,
portanto, não é Deus.
4. Se Deus quer e pode… Então de onde vêm os males? E por
que não acaba com eles?

3 - Paradoxo relativo à onisciência:

• Deus poderia eliminar sua onisciência?
• Se puder eliminar sua onisciência isto contraria sua
condição de Deus, já que uma das qualidades intrínsecas
de Deus é sua onisciência. Se um deus não é onisciente não
pode ser deus.

4 - Paradoxo relativo à sua eternidade e existência:

1. Deus poderia eliminar sua eternidade ou eliminar sua
existência?
2. Se puder, então não seria eterno.
3. Se não puder, então não seria onipotente.
4. Se Deus pode eliminar sua eternidade não é Deus.
5. Se Deus não pode eliminar sua eternidade não é
onipotente.

5 - Paradoxo da autocontradição:

1. Deus poderia eliminar sua onipotência?

70
2. Se puder eliminar sua onipotência deixa de ser deus, já que
uma das qualidades para ser deus é ser onipotente. Um
deus que pode NÃO ser onipotente não pode ser deus.
3. Se não puder eliminar sua onipotência não é onipotente.
Um deus que não é onipotente não é deus.

6 - Contradição entre a Onibenevolência e a onipotência:

1. Se o mal é a ausência do bem e deus não atua contra o
mal,
2. Ou deus não pode atuar contra o mal porque não pode ter
acesso (já que está ausente), então não é onipresente e
tampouco é onipotente.
3. Ou deus não pode atuar contra o mal porque não quer,
então não é onipotente e nem onibenevolente.

7 - Adição como contradição entre Onibenevolência e onipresença:

• Ou deus não pode ter acesso ao mal porque não é
onipresente.
• Ou deus não quer ter acesso ao mal porque não é
onibenevolente (puro amor).

3 - Onipresença

1 - Paradoxo e contradição entre onipresença e onipotência:

1. Deus poderia NÃO estar em todas as partes?
2. Se puder NÃO estar em todas as partes, não é onipresente.
3. Se NÃO puder NÃO estar em todas as partes, é onipresente,
mas NÃO é onipotente.

71
4. Se, ao ser onipresente não puder ser onipotente, para que
chama-lo deus?

2 - Resposta à desculpa teológica sobre o paradoxo da
onipresença:

1. Se o mal é a ausência do bem e o mesmo acontece com a
onipresença, Deus está ausente em certas partes.
2. Se existem certas partes onde esse deus está ausente, esse
deus NÃO é onipresente.

3 - Contradição com a Onibenevolência:

1. Poderia um ser onipresente e onibenevolente não atuar
contra o mal?
2. Se deus é onipresente (está em todas as partes) e não atua
contra o mal, não é um deus onibenevolente.
3. Se deus é onipresente e não pode atuar contra o mal, não
é onipotente.
4. Se deus é onipresente e não quer atuar contra o mal, não
é onibenevolente.
5. Se não pode detectar o mal, não é onipresente nem
onisciente.
6. Um deus com falta de alguma destas qualidades não é
deus.

4 - Extensão:

1. Se deus observa o mal e não atua, não é onibenevolente.
2. Se observar o mal e não puder atuar, não é onipotente.
3. Se observar o mal e for indiferente a ele, não é onisciente.
(Já que se fosse onisciente saberia que é o mal e também
saberia todas as suas implicações)

72
4 – Onisciência

1 - Paradoxo da onisciência:

1. Se deus criou todo o conhecimento e ele tinha
conhecimento de antemão, isto implicaria em uma
contradição circular: Deus não poderia ter sabido tudo
antes que existisse nenhum conhecimento para saber.

2 - Paradoxo da predestinação (contradição com o arbítrio):

1. Se Deus pudesse saber tudo de antemão, seria necessário
crer que todos os acontecimentos possíveis de acontecer
estariam predestinados.

3 - Contradição com a Onibenevolência e a onipresença:

1. Se deus sabe que vai acontecer algo ruim e não o evita,
não é onibenevolente.
2. Se deus sabe que vai acontecer algo ruim e o evita, o livre
arbítrio não existe.
3. Se deus sabe que vai acontecer algo ruim e não pode evita-
lo, não é onipotente.
4. Se deus não sabe que vai acontecer algo ruim, não é
onisciente.

Atuação

73
4 - Contradição de sua onisciência com o livre arbítrio:

1. Se deus atua de determinada forma para conseguir um fim
predeterminado (já que deus sabe de antemão que
consequências terão), o livre arbítrio não existe.
2. Se deus não atua e com isso se consegue um fim
predeterminado (que deus sabe que acontecerá ao não
atuar), o livre arbítrio não existe.

5 - Contradição com sua equidade:

1. Se deus atua em determinado momento (sabendo, devido
à sua onisciência, o que acontecerá), mas não atua em
outro, não é equitativo.
2. Se deus atua para conseguir uma determinada causa
(sabendo, devido à sua onisciência, qual será o fim), não é
equitativo e contradiz o livre arbítrio.
3. Se existe um deus e este não pode atuar, não é onipotente.
4. Se existe um deus e não quer atuar, não é onibenevolente.

Justiça e equidade

6 - Contradições com sua onisciência:

1. Se deus é onisciente e sabe o que vai acontecer de
antemão, pode ser justo e equitativo?
2. Se deus é eterno (está além do tempo e do espaço), não
pode ser justo e equitativo e ao mesmo tempo onisciente
já que, se ao atuar de determinada forma beneficiasse a
uns prejudicando a outros, não poderia ser justo e
equitativo.
74
3. Se escolher a quem ajudar e a quem não ajudar, não é
justo, nem equitativo, nem onibenevolente.
4. Se não escolhe a quem ajudar (não ajudando ninguém), é
justo e equitativo, mas não é onibenevolente.
5. Se não pode escolher, não é onipotente.
6. Se puder escolher, não é justo e nem equitativo.
7. Se não pode ser justo e equitativo, não é onipotente.
8. Se carecer de alguma destas qualidades, não é deus.

7 - Referência aos castigos:

• Se deus dá o livre arbítrio, não pode realizar nenhum tipo
de justiça.
• Se deus realiza qualquer tipo de justiça, não existe o livre
arbítrio. Já que se existe o livre arbítrio, não existem causas
negativas que o condicionem.
• Se deus não atua castigando, não existe justiça em seu
comportamento.
• Se deus não pode realizar justiça, não é onipotente.
• Se deus não quer castigar (usando sua misericórdia -
algunos alegam que esta é infinita) não é justo.
• Se deus não é justo, não é deus.
• Se deus não pode ser justo, não é onipotente.
• Se deus usa sua onipotência para castigar, não é justo, nem
equitativo e nem misericordioso.
• Se deus castiga, não é onibenevolente.
• Se deus castiga sabendo de antemão que o faria
(onisciência), não existe livre arbítrio.

8 - Relativo à sua misericórdia:

1. A misericórdia é a suspensão da justiça. Se a justiça é
suspensa em determinadas ocasiões, não existe equidade.
75
9 - Paradoxo teológico do bem e do mal:

1. Se o mal é a ausência do bem, o bem é a ausência do mal.
Se o mal está ausente só existe o bem, se o bem está
ausente, só existe o mal.
2. Se deus existe e é onibenevolente, por que existe o mal?
Se deus é onibenevolente e está em todas as partes
(onipresença), por que nem tudo é bom?
3. Se nem tudo é bom, deus é mau?
4. Se for mau, não é onibenevolente?
5. Se deus está em todas as partes (onipresença), também
está no mal?
6. Se deus está no mal, não é onibenevolente.

10 - Contradição com a relatividade:

• Se o bem e o mal são relativos, deus também é relativo. Se
deus é relativo, não pode ser equitativo.
• Se deus não pode ser relativo, não é onipotente.
• Se deus não é equitativo, é injusto.
• Se deus é injusto, não pode ser onibenevolente.
• Se deus não pode ser onibenevolente, não é onipotente.
• A Onibenevolência (amor infinito) é uma qualidade de
Deus. Se este carece dela, não é Deus.

5 - Perfeição absoluta

1. Se deus existe, seu grau de perfeição deve medir-se (ou
comparar-se) com respeito a coisas que são tangíveis.
2. Se não existe nada para medir a perfeição desse deus, não
se pode saber se é absolutamente perfeito ou se poderia
existir algo mais perfeito ainda.
76
3. Deus poderia ser absolutamente perfeito? Se a perfeição é
um ideal (um estado inalcançável, mas infinitamente
aproximável) significa que deus jamais poderá alcança-la.
4. Se não pode alcança-la não é onipotente.
5. Se existe a perfeição absoluta, não existe o ideal de
perfeição.
6. Se não podemos saber se existe a perfeição absoluta, não
podemos definir deus com essa qualidade.

1 - Relativo à criação:

1. A perfeição absoluta não pode existir, já que a sua
existência é autocontraditória com o ideal de perfeição.
2. Algo absolutamente perfeito pode criar algo imperfeito?
3. Se algo absolutamente perfeito cria algo imperfeito,
significa que esse algo absolutamente perfeito falhou,
logo não é absolutamente perfeito.
4. Se deus cria algo imperfeito, deus não é absolutamente
perfeito.
5. Se deus não é absolutamente perfeito, não é deus.
6. Se deus é absolutamente perfeito, não é possível
produzir nenhum tipo de paradoxo ou contradição
relativa à sua existência.

2 - Conclusão

A simples ausência ou contradição de uma só destas qualidades
faz com que este personagem literário e imaginário (que segundo
seus autores existe e as possui) seja uma impossibilidade. Não
são apenas qualidades contraditórias entre si, mas, além disso,
são qualidades autocontraditórias. Dito de outra forma,
qualidades impossíveis de ter.

77
1. Qualidades inventadas pelas mentes que as imaginaram.
2. Apenas mentiras exageradas que se tornaram impossíveis
de explicar.

Um exemplo simples à sua existência seria imaginar a
possibilidade de existência de um quadrado redondo. Podemos
criar o conceito, mas não podemos imaginar nem criar e nem
demonstrar sua existência. E o conceito não deixa de existir como
tal, talvez porque “é um mistério” ou “nossa mente é limitada e
finita”. É bem mais sensato afirmar que são simples contradições,
ainda que existam pessoas que prefiram acreditar em sua
existência e, por essa razão, deveríamos então criar um ramo
acadêmico para explicar porque devem existir quadrados
redondos ou círculos quadrados? Bem, pasmem, já existe!
Chama-se teologia!

Referências:

• Bíblia Sagrada, diversas edições.
• http://ateismoparacristianos.blogspot.com.br/2013/04/la-farsa-de-la-
perfeccion-de-dios-adan.html
• http://ateismoparacristianos.blogspot.com.br/2013/04/dios-y-su-insano-deseo-
de-humillacion.html
• http://ateismoparacristianos.blogspot.gr/2010/02/la-fe-de-abraham-una-
prueba-innecesaria.html
• http://www.ateoyagnostico.com/2011/05/30/paradojas-y-contradicciones-dios-
no-existe/

78
6 - Mais bobagens do Cristianismo >>>

COLEÇÃO FÁBULAS BÍBLICAS

MAIS DE 70 VOLUMES. É GRÁTIS E SEMPRE SERÁ.

Desmascarando de maneira simples, com a Bíblia e com o raciocínio
lógico mais básico possível, todas as mentiras do cristianismo, usadas
para enganar e explorar pessoas bobas e ingênuas com histórias falsas,
plágios descarados, fábulas infantis, contos engraçados e costumes
primitivos de povos primitivos e ignorantes da idade do bronze.

• LER ONLINE OU BAIXAR
• http://es.scribd.com/jairo_luis_1
• DOWNLOAD 4SHARED VOLUMES INDIVIDUAIS OU TODOS
• http://www.4shared.com/folder/3zU2dz2o/COLEO_FBULAS_BBL
ICAS.html
• DOWNLOAD DIRETO TODOS OS VOLUMES DISPONÍVEIS EM
ARQUIVO ÚNICO DE APROX. 400 MB.
• https://www.sugarsync.com/pf/D0297736_98010216_94119

COLEÇÃO FÁBULAS MÓRMONS - MAIS DE 2500 PÁGINAS

• LER ONLINE OU BAIXAR
• http://es.scribd.com/jairo_luis_1
• DOWNLOAD 4SHARED VOLUMES INDIVIDUAIS OU A PASTA
TODA
• http://www.4shared.com/folder/NeRGFeff/COLEO_FBULAS_MR
MONS.html
• DOWNLOAD DIRETO TODOS OS VOLUMES DISPONÍVEIS >
112MB
• https://www.sugarsync.com/pf/D0297736_83480671_12202

79
1 - Mais conteúdo recomendado

80
2 - Livros recomendados

570 páginas 317 páginas 198 páginas
Originally published as a
Mentiras Fundamentais da Com grande rigor histórico pamphlet in 1853, and
Igreja Católica é uma e acadêmico Fernando expanded to book length in
análise profunda da Bíblia, Vallejo desmascara uma fé 1858, The Two Babylons
que permite conhecer o dogmática que durante seeks to demonstrate a
que se deixou escrito, em 1700 anos tem derramado connection between the
que circunstâncias, quem o o sangue de homens e ancient Babylonian
escreveu, quando e, acima animais invocando a mystery religions and
de tudo, como tem sido enteléquia de Deus ou a practices of the Roman
pervertido ao longo dos estranha mistura de mitos Catholic Church. Often
séculos. Este livro de Pepe orientais que chamamos de controversial, yet always
Rodriguez serve para que Cristo, cuja existência real engaging, The Two
crentes e não crentes ninguém conseguiu Babylons comes from an
encontrem as respostas demonstrar. Uma obra que era when disciplines such
que sempre buscaram e desmistifica e quebra os as archeology and
posaam ter a última pilares de uma instituição anthropology were in their
palavra. É uma das tão arraigada em nosso infancy, and represents an
melhores coleções de mundo atual. early attempt to synthesize
dados sobre a formação many of the findings of
mitológica do cristianismo Entrevista com o autor these areas and Biblical
no Ocidente. Um a um, AQUI. truth.
magistralmente, o autor
revela aspectos mais
questionáveis da fé
judaico-cristã.

81
600 páginas 600 páginas 312 páginas
“Dois informadíssimos volumes de Karlheinz Deschner "Su visión de la historia de
sobre a política dos Papas no século XX, uma obra la Iglesia no sólo no es
surpreendentemente silenciada peols mesmos meios de reverencial, sino que, por
comunicação que tanta atenção dedicaram ao livro de usar una expresión
João Paulo II sobre como cruzar o umbral da esperança a familiar, ‘no deja títere con
força de fé e obediência. Eu sei que não está na moda cabeza’. Su sarcasmo y su
julgar a religião por seus efeitos históricos recentes, mordaz ironía serían
exceto no caso do fundamentalismo islâmico, mas alguns gratuitos si no fuese porque
exercícios de memória a este respeito são essenciais para van de la mano del dato
a compreensão do surgimento de algumas elocuente y del argumento
monstruosidades políticas ocorridas no século XX e outras racional. La chispa de su
tão atuais como as que ocorrem na ex-Jugoslávia ou no estilo se nutre, por lo
País Basco”. demás, de la mejor
Fernando Savater. El País, 17 de junho de 1995. tradición volteriana."
“Este segundo volume, como o primeiro, nos oferece uma Fernando Savater. El País,
ampla e sólida informação sobre esse período da história 20 de mayo de 1990
da Igreja na sua transição de uma marcada atitude de
condescendência com regimes totalitários conservadores
até uma postura de necessária acomodação aos sistemas
democráticos dos vencedores ocidentais na Segunda
Guerra Mundial”.

Gonzalo Puente Ojea. El Mundo, 22 de outubro de 1995.

Ler online volume 1 e volume 2 (espanhol). Para comprar
(Amazon) clique nas imagens.

82
136 páginas 480 páginas 304 páginas
De una manera didáctica, “Se bem que o cristianismo "En temas candentes como
el profesor Karl Deschner esteja hoje à beira da los del control demográfico,
nos ofrece una visión crítica bancarrota espiritual, el uso de anticonceptivos,
de la doctrina de la Iglesia segue impregnando ainda la ordenación sacerdotal de
católica y de sus trasfondos decisivamente nossa moral las mujeres y el celibato de
históricos. Desde la misma sexual, e as limitações los sacerdotes, la iglesia
existencia de Jesús, hasta formais de nossa vida sigue anclada en el pasado
la polémica transmisión de erótica continuam sendo y bloqueada en su rigidez
los Evangelios, la basicamente as mesmas dogmática. ¿Por qué esa
instauración y significación que nos séculos XV ou V, na obstinación que atenta
de los sacramentos o la época de Lutero ou de contra la dignidad y la
supuesta infalibilidad del Santo Agostinho. E isso nos libertad de millones de
Papa. afeta a todos no mundo personas? El Anticatecismo
Todos estos asuntos son ocidental, inclusive aos não ayuda eficazmente a hallar
estudiados, puestos en cristãos ou aos anticristãos. respuesta a esa pregunta.
duda y expuestas las Pois o que alguns pastores Confluyen en esta obra dos
conclusiones en una obra nômadas de cabras personalidades de vocación
de rigor que, traducida a pensaram há dois mil e ilustradora y del máximo
numerosos idiomas, ha quinhentos anos, continua relieve en lo que, desde
venido a cuestionar los determinando os códigos Voltaire, casi constituye un
orígenes, métodos y oficiais desde a Europa até Género literario propio: la
razones de una de las a América; subsiste uma crítica de la iglesia y de
instituciones más conexão tangível entre as todo dogmatismo
poderosas del mundo: la ideas sobre a sexualidade obsesivamente
Iglesia católica. dos profetas <salvífico>.
veterotestamentarios ou de
Paulo e os processos penais
por conduta desonesta em
Roma, Paris ou Nova York.”
Karlheinz Deschner.

83
1 – (365 pg) Los 2 - (294 pg) La época 3 - (297 pg) De la
orígenes, desde el patrística y la querella de Oriente hasta
paleocristianismo hasta consolidación del el final del periodo
el final de la era primado de Roma justiniano
constantiniana

4 - (263 pg) La Iglesia 5 - (250 pg) La Iglesia 6 - (263 pg) Alta Edad
antigua: Falsificaciones y antigua: Lucha contra los Media: El siglo de los
engaños paganos y ocupaciones merovingios
del poder

84
7 - (201 pg) Alta Edad 8 - (282 pg) Siglo IX: 9 - (282 pg) Siglo X:
Media: El auge de la Desde Luis el Piadoso Desde las invasiones
dinastía carolingia hasta las primeras luchas normandas hasta la
contra los sarracenos muerte de Otón III
Sua obra mais ambiciosa, a “História
Criminal do Cristianismo”, projetada em
princípio a dez volumes, dos quais se
publicaram nove até o presente e não se
descarta que se amplie o projeto. Trata-
se da mais rigorosa e implacável
exposição jamais escrita contra as formas
empregadas pelos cristãos, ao largo dos
séculos, para a conquista e conservação
do poder.
Em 1971 Deschner foi convocado por
uma corte em Nuremberg acusado de
difamar a Igreja. Ganhou o processo com uma sólida argumentação, mas
aquela instituição reagiu rodeando suas obras com um muro de silêncio
que não se rompeu definitivamente até os anos oitenta, quando as obras
de Deschner começaram a ser publicadas fora da Alemanha (Polônia,
Suíça, Itália e Espanha, principalmente).

85
414 páginas 639 páginas
LA BIBLIA DESENTERRADA EL PAPA DE HITLER: LA VERDADERA
HISTORIA DE PIO XII
Israel Finkelstein es un arqueólogo y
académico israelita, director del ¿Fue Pío XII indiferente al sufrimiento
instituto de arqueología de la del pueblo judío? ¿Tuvo alguna
Universidad de Tel Aviv y co- responsabilidad en el ascenso del
responsable de las excavaciones en nazismo? ¿Cómo explicar que firmara
Mejido (25 estratos arqueológicos, 7000 un Concordato con Hitler?
años de historia) al norte de Israel. Se Preguntas como éstas comenzaron a
le debe igualmente importantes formularse al finalizar la Segunda
contribuciones a los recientes datos Guerra Mundial, tiñendo con la
arqueológicos sobre los primeros sospecha al Sumo Pontífice. A fin de
israelitas en tierra de Palestina responder a estos interrogantes, y con
(excavaciones de 1990) utilizando un el deseo de limpiar la imagen de
método que utiliza la estadística ( Eugenio Pacelli, el historiador católico
exploración de toda la superficie a gran John Cornwell decidió investigar a
escala de la cual se extraen todas las fondo su figura.
signos de vida, luego se data y se
cartografía por fecha) que permitió el
descubrimiento de la sedentarización de El profesor Cornwell plantea unas
los primeros israelitas sobre las altas acusaciones acerca del papel de la
tierras de Cisjordania. Iglesia en los acontecimientos más
terribles del siglo, incluso de la historia
humana, extremadamente difíciles de
Es un libro que es necesario conocer. refutar.

86
513 páginas 326 páginas 480 páginas

En esta obra se describe Santos e pecadores: Jesús de Nazaret, su
a algunos de los hombres história dos papas é um posible descendencia y el
que ocuparon el cargo de livro que em nenhum papel de sus discípulos
papa. Entre los papas momento soa están de plena
hubo un gran número de pretensioso. O subtítulo é actualidad. Llega así la
hombres casados, explicado pelo autor no publicación de El puzzle
algunos de los cuales prefácio, que afirma não de Jesús, que aporta un
renunciaron a sus ter tido a intenção de punto de vista diferente y
esposas e hijos a cambio soar absoluto. Não é a polémico sobre su figura.
del cargo papal. Muchos história dos papas, mas Earl Doherty, el autor, es
eran hijos de sacerdotes, sim, uma de suas un estudioso que se ha
obispos y papas. Algunos histórias. Vale dizer que o dedicado durante
eran bastardos, uno era livro originou-se de uma décadas a investigar los
viudo, otro un ex esclavo, série para a televisão, testimonios acerca de la
varios eran asesinos, mas em nenhum vida de Jesús,
otros incrédulos, algunos momento soa incompleto profundizando hasta las
eran ermitaños, algunos ou deixa lacunas. últimas consecuencias...
herejes, sadistas y que a mucha gente le
sodomitas; muchos se gustaría no tener que
convirtieron en papas leer. Kevin Quinter es un
comprando el papado escritor de ficción
(simonía), y continuaron histórica al que proponen
durante sus días escribir un bestseller
vendiendo objetos sobre la vida de Jesús de
sagrados para forrarse Nazaret.
con el dinero, al menos
uno era adorador de
Satanás, algunos fueron
padres de hijos
ilegítimos, algunos eran
fornicarios y adúlteros en
gran escala...

87
576 páginas 380 páginas 38 páginas

First published in 1976, La Biblia con fuentes An Atheist Classic! This
Paul Johnson's reveladas (2003) es un masterpiece, by the
exceptional study of libro del erudito bíblico brilliant atheist Marshall
Christianity has been Richard Elliott Friedman Gauvin is full of direct
loved and widely hailed que se ocupa del proceso 'counter-dictions',
for its intensive research, por el cual los cinco libros historical evidence and
writing, and magnitude. de la Torá (Pentateuco) testimony that, not only
In a highly readable llegaron a ser escritos. casts doubt, but shatters
companion to books on Friedman sigue las cuatro the myth that there was,
faith and history, the fuentes del modelo de la indeed, a 'Jesus Christ',
scholar and author hipótesis documentaria as Christians assert.
Johnson has illuminated pero se diferencia
the Christian world and significativamente del
its fascinating history in a modelo S de Julius
way that no other has. Wellhausen en varios
aspectos.

88
391 páginas

PEDERASTIA EM LA IGLESIA CATÓLICA Robert Ambelain, aunque defensor de
la historicidad de un Jesús de carne y
En este libro, los abusos sexuales a hueso, amplia en estas líneas la
menores, cometidos por el clero o por descripción que hace en anteriores
cualquier otro, son tratados como entregas de esta trilogía ( Jesús o El
"delitos", no como "pecados", ya que en Secreto Mortal de los Templarios y Los
todos los ordenamientos jurídicos Secretos del Gólgota) de un Jesús para
democráticos del mundo se tipifican nada acorde con la descripción oficial
como un delito penal las conductas de la iglesia sino a uno rebelde: un
sexuales con menores a las que nos zelote con aspiraciones a monarca que
vamos a referir. Y comete también un fue mitificado e inventado, tal y como
delito todo aquel que, de forma se conoce actualmente, por Paulo,
consciente y activa, encubre u ordena quién, según Ambelain, desconocía las
encubrir esos comportamientos leyes judaicas y dicha religión, y quien
deplorables. además usó todos los arquetipos de las
Usar como objeto sexual a un menor, ya religiones que sí conocía y en las que
sea mediante la violencia, el engaño, la alguna vez creyó (las griegas, romanas
astucia o la seducción, supone, ante y persas) arropándose en los
todo y por encima de cualquier otra conocimientos sobre judaísmo de
opinión, un delito. Y si bien es cierto personas como Filón para crear a ese
que, además, el hecho puede verse personaje. Este extrajo de cada religión
como un "pecado" -según el término aquello que atraería a las masas para
católico-, jamás puede ser lícito, ni así poder centralizar su nueva religión
honesto, ni admisible abordarlo sólo en sí mismo como cabeza visible de una
como un "pecado" al tiempo que se jerarquía eclesiástica totalmente nueva
ignora conscientemente su naturaleza que no hacía frente directo al imperio
básica de delito, tal como hace la Iglesia pero si a quienes oprimían al pueblo
católica, tanto desde el ordenamiento valiéndose de la posición que les había
jurídico interno que le es propio, como concedido dicho imperio (el consejo
desde la praxis cotidiana de sus judío).
prelados.

89

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful