Está en la página 1de 1
A10 | acional | QUARTA-FEIRA, 30 DE JUNHO DE 2010 = OESTADO DES, PAULO” CPI da Bancoop abre sigilo de 7 empresas e 8 pessoas Agao atinge empreiteiras, fornecedores de material de construgao e prestadores de servicos da.cooperativa Fausto Macedo Por 6 votos a 2,a CPI da Bancoop aprovou ontem a quebra de sigi- lobancarioefiscal de7 empresas e 8 pessoas envolvidas com a Cooperativa Habitacional dos Bancarios de Sao Paulo. A Ban- coop esta sob investigacaio por supostas fraudes e desvio de re- cursos para financiar campa- nhas do PT. Amedida atinge empreiteiras, fornecedores de material de construgao e prestadores de ser- vicgos - Germany, Mizu, Mirante, Conservix, Saned, Amaro Caval- cante Construgoes e Irmaos Pe- ruzo -, além de Hélio Malheiro, Andi Gurezynska, Walter Ama- ro, Ricardo Luis do Carmo, Mar- celo Rinaldi, Alessandro Bernar- dini, Luis Malheiro e Tomas Ed- son Botelho Fraga. E o passo mais importante da CPI, que até agora tomou depoi- mentos decooperados que recla- mam nioterrecebido suas unida- des. Também foram ouvidos rela- tos de profissionais que tiveram ligagdes com a Bancoop na ges- tao de Luis Malheiro, morto em acidente de carro em 2004. ACPIespera encontrar nos ex- tratos bancarios e nas informa- g6es tributarias eventuais movi- mentag6es atipicas e patriménio incompativel com rendas decla- radas. Mais queisso, mirao desti- no dodinheiro dos compradores dos iméveis. “Os cooperados pa- gavam suas parcelas, as unidades habitacionais nao eram entre- gues. Entao, para algum lugar o dinheiro foi”, anota o deputado Bruno Covas (PSDB), relator da comissaoeautor dorequerimen- toparaabertura do sigilo. “Colhe- mos provas testemunhais, agora esperamos obter provas docu- mentais.” O Ministério Publico suspeita que o rombo na Bancoop soma R$100 milhées e define a coope- rativa como “organizacao crimi- nosa”. A promotoria criminal su- poe que parte de recursos teria sidodestinadaacampanhas poli- ticas do PT e prepara denuncia formal a Justiga por estelionato, lavagem de dinheiro e quadrilha. “Se esse dinheiro foiutilizado pa- rapagar campanhas dos partidos dos dirigentes da Bancoop ou se foi para uso proprio desses diri- gentes éo quevamos saber”, assi- nala Covas. “A CPI é uma hipocrisia, vai serum fiasco”, avalia o deputado Vanderlei Siraque (PT), que de- fendia a necessidade de a Procu- radoria da Assembleia emitir pa- recersobrealegalidade dadevas- sa. “O sigilo pode e deve ser que- brado, mas do jeito que fizeram na pratica jamais sera aberto. Os requerimentos tém de serindivi- dualizados e devidamente moti- vados por setratar dedireito fun- damental. Fizeram pirotecnia. A Receita eo Banco Central sdo ér- gaos de Estado, nao de governo.”